Tempo
|
A+ / A-

Covid-19

Reino Unido pondera vacinação porta-a-porta para evitar novas restrições

27 dez, 2021 - 08:11 • Filipe d'Avillez

Calcula-se que haja cinco milhões de adultos por vacinar no país e as previsões apontam para um pico de novas infeções e internamentos nas próximas semanas.

A+ / A-

Veja também:


O Governo britânico está a ponderar a criação de equipas de vacinação porta-a-porta, numa tentativa de evitar a imposição de novas restrições no Ano Novo.

Segundo a imprensa britânica o plano está a ser avaliado por representantes do gabinete do primeiro-ministro, do Serviço Nacional de Saúde e do Ministério da Saúde.

Esta seria uma forma de tentar fazer chegar a vacina a pessoas que se têm mostrado relutantes, ou incapazes de se deslocarem a centros de vacinação. Calcula-se que haja cinco milhões de adultos por vacinar no Reino Unido.

É também uma forma de tentar evitar a aplicação de novas restrições no país, numa altura em que aumentam os números de infetados pela nova variante Ómicron da Covid-19.

Boris Johnson, primeiro-ministro do Reino Unido, está a tentar evitar impor mais restrições, mas uma decisão final só deve ser tomada e anunciada na véspera da passagem do ano.

Dados avançados pelo grupo de aconselhamento científico do Governo (SAGE) apontam para um novo pico de internamentos nas próximas semanas devido à Covid-19, mas os setores ligados à economia, turismo e restauração avisam que um novo confinamento terá efeitos devastadores para o país.

Certo é que serão feitos todos os esforços para manter abertas as escolas, segundo uma fonte próxima do ministro da Educação, Nadhim Zahawi.

“O primeiro-ministro e Nadhim estão apostados em manter as escolas abertas e esse compromisso aplica-se ao resto do Governo também. A educação é uma prioridade máxima e não se está a contemplar fechar as escolas”, disse a fonte, citada pelo jornal “Daily Mail”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+