Tempo
|
A+ / A-

Fotogaleria

Sismo de magnitude 7.2 no Haiti faz mais de 300 mortos

14 ago, 2021 - 15:30 • Redação

Um alerta de tsunami foi emitido, com probabilidade de ocorrência de ondas até três metros acima do nível da maré. No entanto, mais tarde essa possibilidade foi afastada.

A+ / A-
Busca por sobreviventes em Los Cayos. Foto: Ralph Tedy Erol/EPA (clique na seta para percorrer a fotogaleria)
Busca por sobreviventes em Los Cayos. Foto: Ralph Tedy Erol/EPA (clique na seta para percorrer a fotogaleria)
Abalo faz estragos na localidade de Los Cayos. Foto: Ralph Tedy Erol/EPA (clique na seta para percorrer a fotogaleria)
Abalo faz estragos na localidade de Los Cayos. Foto: Ralph Tedy Erol/EPA (clique na seta para percorrer a fotogaleria)
Igreja do Sagrado Coração, em Los Cayos, ficou bastante danificada. Foto: Ralph Tedy Erol/EPA
Igreja do Sagrado Coração, em Los Cayos, ficou bastante danificada. Foto: Ralph Tedy Erol/EPA
População foge do avanço do mar em Los Cayos. Foto: Jean David Geneste/EPA
População foge do avanço do mar em Los Cayos. Foto: Jean David Geneste/EPA
Imagens de destruição em Los Cayos. Foto: Jean David Geneste/EPA
Imagens de destruição em Los Cayos. Foto: Jean David Geneste/EPA
 Foto: Jean David Geneste/EPA
Foto: Jean David Geneste/EPA

Pelo menos 304 pessoas morreram em resultado do violento sismo de magnitude 7,2 na escala de Richter registado este sábado no Haiti, a cerca de 12 quilómetros a norte de São Luís do Sul.

As vítimas mortais subiram em flecha nas últimas horas: primeiro, de 29 para 230 e, depois, para mais de três centenas, sendo que a estes somam-se um número ainda não contabilizado de feridos.

O primeiro-ministro, Ariel Henry, já declarou o estado de emergência, que deverá ter a duração de um mês.

O Presidente norte-americano, Joe Biden, anunciou que os Estados Unidos vão ajudar o Haiti no apoio de emergência à população, através da agência USAID, e no processo de reconstrução das infraestruturas danificadas pelo tremor de terra.

A tragédia deste sábado acontece num país que ainda recupera do abalo que foi o assassinato do Presidente Jovenel Moise.

Nos momentos iniciais, logo a seguir à terra tremer, as primeiras reações já indiciavam que estaríamos perante uma tragédia de grandes proporções.

“Há mortos, mas ainda não tenho um balanço preciso”, adiantou Jerry Chandler, o diretor da Proteção Civil do país, que confirmou também que o primeiro-ministro, Ariel Henry, estava a caminho do centro de operações de emergência, em Porto Príncipe.

“O mais importante é recuperar o maior número possível de sobreviventes sob os escombros”, afitrmou o mesmo Ariel Henry.

O sismo foi sentido também na República Dominicana, que divide com o Haiti a ilha caribenha de Hispaniola.

Citado pelas agências internacionais, o primeiro-ministro do Haiti, Ariel Henry, já classificou a situação no terreno como "dramática", numa referência às vítimas mortais e aos danos materiais provocados pelo sismo no país, o mais pobre do continente americano.

Em janeiro de 2010, o Haiti registou um terramoto de 7 graus na escala de Richter que causou 300.000 mortos, outros milhares de feridos e afetou 1,5 milhões de pessoas.

O Sistema de Alerta de Tsunamis dos Estados Unidos emitiu, de acordo com a CNN, um aviso de perigo de tsunami, com probabilidade de ocorrência de ondas até três metros de altura, acima do nível da maré. No entanto, horas depois, esse alerta foi levantado.

[notícia atualizada às 23h55]

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+