Tempo
|
A+ / A-

Afinal, que bandeira é que José Manuel Coelho mostrou a Marcelo?

01 jul, 2016 - 12:47 • Filipe d'Avillez

É conhecida como a bandeira do Estado Islâmico, mas é usada por vários grupos jihadistas. É uma variante de um símbolo que data dos primórdios do islão. Na internet pode-se comprar por cerca de 27 euros.

A+ / A-

O bandeira que o deputado José Manuel Coelho, do parlamento regional da Madeira, desenrolou e exibiu esta sexta-feira a Marcelo Rebelo de Sousa tem vindo a ser identificada como a “bandeira do Estado Islâmico”, mas isso não é inteiramente correcto.

O grupo terrorista que domina grande parte da Síria e do Iraque utiliza de facto este símbolo, mas ele antecede em muitos anos o próprio Estado Islâmico e é, na verdade, uma variante do “Estandarte Negro”, que já é usado por grupos islâmicos há vários séculos.

Na verdade, não se pode dizer que a bandeira em causa seja de qualquer grupo em particular, uma vez que é usada por vários, incluindo alguns que estão em conflito uns com os outros, como é o caso do Estado Islâmico e da Al-Qaeda.

Historicamente, o estandarte negro é associado ao próprio Maomé e já era certamente usado no século VIII pelos seus sucessores. Tratava-se, como o nome indica, de uma bandeira inteiramente preta, sem qualquer inscrição.

O símbolo foi recuperado pontualmente ao longo dos anos, mas o seu uso começou a ser mais difundido na década de 90, altura em que começou a aparecer com variações, normalmente inscrições ou símbolos brancos.

A versão utilizada pelo Estado Islâmico e outros grupos, e que foi exibida no parlamento madeirense, consiste num fundo preto com um selo no centro e uma inscrição em cima. A inscrição, a branco, diz: “Não há outro Deus se não Deus”. Já o símbolo esférico é conhecido como o selo de Maomé e é uma réplica do que foi usado pelo fundador do islão para assinar correspondência oficial. Trata-se de um círculo com a inscrição “Allah”, que é Deus em árabe, e por baixo “Maomé, mensageiro”.

No seu conjunto, a inscrição e o selo reflectem a “Shahada”, isto é, o credo central do islão: “Não há outro Deus se não Deus, e Maomé é o seu Profeta”.

Uma versão do estandarte negro sem o selo começou a ser popularizada nos meios jihadistas na década de 90 pela Al-Qaeda, juntamente com uma versão de fundo branco com letras pretas. Pelo menos em 2006 já se usava a versão com o selo, isto é, quando o Estado Islâmico era praticamente desconhecido e ainda estava alinhado com a Al-Qaeda.

Quando o Estado Islâmico, na altura conhecido como o Estado Islâmico do Iraque e do Levante, começou a ganhar importância, sobretudo depois da ocupação de Mossul, Iraque, em Junho de 2014, a bandeira começou a aparecer com muito mais frequência, devido à mediatização do grupo, pelo que não tardou a ficar associada a este.

Na verdade, porém, é incorrecto presumir que esta versão do estandarte negro seja uma bandeira exclusiva do Estado Islâmico, uma vez que continua a ser utilizada também por outros grupos.

Sua por 27 euros

A dita mediatização da bandeira e a popularidade do Estado Islâmico entre fundamentalistas em vários países, incluindo alguns países ocidentais, levou a que o símbolo fosse proibido, pelo menos na Alemanha, por exemplo, a sua exibição, salvo para razões educativas, é vedada e o mesmo já foi proposto na Áustria.

No Reino Unido David Cameron chegou a sugerir também a proibição. Em Portugal não existe uma proibição oficial.

Como praticamente tudo, a bandeira pode ser adquirida "online" a partir de vários locais. Pelo menos um site consultado pela Renascença anuncia a venda de bandeiras de 90 cm por 1,5 metros por cerca de 27 euros. O site especializa-se em vender parafernália extremista, incluindo bandeiras nazis.

Não se sabe, por enquanto, se a bandeira adquirida por José Manuel Coelho foi adquirida ou se a mandou fazer especialmente para a ocasião.

Soldados do Estado Islâmico com a bandeira que popularizaram


Militantes do Jhabat al-Nusra, um grupo que luta contra o Estado Islâmico


Militantes do al-Shabaab, grupo jihadista que actua na Somália e que não está ligada ao Estado Islâmico


Jihadistas indonésios


Soldados nigerianos com uma bandeira capturada ao grupo Boko Haram


Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • DEMALAPIOR
    04 jul, 2016 Santarém 22:00
    O Tiririca é um bom actor, ficava muito bem instalado no famoso Parque Mayer que por acaso o senhor Costa se esqueceu de restaurar embora pretenda fazer crer agora ser a cultura um dos seus cavalos de batalha.
  • fields
    01 jul, 2016 lx 19:46
    A especie de diatdura criada pelo jardim na madeira, enraizou-se em todo o lado, até na justiça, por isso é que o homem anda a fazer estas figuras é a única forma de se conseguir fazer ouvir na madeira. Foram muitos anos de jardinismo vamos lá ver se a madeira não leva outros tantos a libertar-se dele...
  • rosinda
    01 jul, 2016 palmela 18:57
    O meu filho olhou para televisao e desatou a rir quando viu o marcelo abanar a senhora na madeira! Um dia zanga-se comigo faz o mesmo que o presidente da republica ! Que raio de educacao esta a passar o nosso presidente aos nossos jovens .
  • Esse indivíduo
    01 jul, 2016 S. Paulo de Frades - Coimbra 18:50
    Esse indivíduo devia era fazer alguma coisa pelo bem e proveito de todos os portugueses, que é isso que estamos todos a pagar, ele que vá trabalhar, que foi o que nunca fez.
  • D.Urraca
    01 jul, 2016 Lisboa 17:15
    Também a cruz suástica já era um símbolo antigo...
  • jose
    01 jul, 2016 setubal 17:01
    A democracia e a liberdade sao realmente valores sem preco. De tal forma que permitem que uma qualquer rosinda diga os maiores disparates que lhe vem a mona incluindo chamar nomes feios ao P.R. E so num pais verdadeiramente democratico pode tais barbaridades serem publicadas. Tadinha da rosinda, como a cabecita nao da para mais e a inteligencia ha muito foi dar uma volta sabe la o que e comentar. Ve-se ao espelho e publica o reflexo.
  • jancg
    01 jul, 2016 usa 16:33
    Que FLOP este marcelo é uma autentica maria vai na onda, esta sempre tudo bem mesmo com as asneiras sobre os emigrantes (pois os que estao em frança sao melhor que os outros) etc. Por favor va se embora Portugal precisa de um Presidente e nao de um ensaiador de rancho folclorico.
  • fr
    01 jul, 2016 Portugal 16:31
    Não falaram porque é que ele fez isso. As maravilhas dos média. Falaram de tudo menos do propósito de ele ter feito isso.
  • rosinda
    01 jul, 2016 palmela 15:57
    Atencao ! Eu nao estou a dizer parvoices o champalimaud quando oferecia viagens aos seus colaboradores nunca deixava viajar todos ao mesmo tempo !
  • rosinda
    01 jul, 2016 palmela 15:47
    Tinhamos ai o dr .rui rio e outras figuras responsaveis logo nos havia de calhar um comentador da tvi sem responsabilidade nenhuma! Ele e o costa ja viajaram juntos de aviao metendo em risco o destino dos portugueses!

Destaques V+