Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Oficial

Onze anos depois, BCE sobe taxas de juro em 0,5 pontos

21 jul, 2022 - 13:28 • Cristina Nascimento

Aumento vai ter impacto direto, por exemplo, nas prestações de empréstimos à habitação. Presidente do BCE prevê que inflação continue "indesejavelmente alta por algum tempo".

A+ / A-

O Banco Central Europeu vai aumentar em 0,5 pontos (50 pontos base) as suas três taxas de juro diretoras. Em comunicado, o BCE justifica esta subida para estar "em consonância com o seu forte compromisso de cumprimento do seu mandato de manutenção da estabilidade de preços".

"O Conselho do BCE decidiu proceder a um aumento de 50 pontos base das três taxas de juro diretoras do BCE", lê-se no comunicado disponível no site do BCE.

É a primeira subida das taxas de juro em 11 anos. Na nota agora disponível, lê-se que "a futura trajetória das taxas de juro diretoras definida pelo Conselho do BCE continuará a depender dos dados e ajudará a cumprir o objetivo de inflação de 2% a médio prazo".

Na mesma nota, o BCE revela que foi aprovado um novo Instrumento de Proteção de Transmissão (IPT), para ajudar a proteger os países e sistemas bancários mais vulneráveis às variações dos juros da dívida e evitar uma nova crise das dívidas soberanas.

Inflação indesejavelmente alta

Em conferência de imprensa, a governadora do Banco Central Europeu, Christine Lagarde, revelou que as perspetivas são que "a inflação continue indesejavelmente alta por algum tempo".

Já sobre uma possível recessão, a presidente do BCE diz que não esperar uma recessão em 2022 nem em 2023, mas admite "que há nuvens no horizonte".

A presidente do BCE destacou ainda que a economia europeia continua a beneficiar de uma reabertura e que o turismo, por exemplo, vai ajudar na recuperação económica no terceiro trimestre do ano. Lagarde sinalizou ainda que "o mercado laboral mantém-se forte" e com níveis de desemprego baixos.

Questionada sobre se em setembro pode ser decidida uma nova subida das taxas de juro, Lagarde reafirmou que tudo vai depender das previsões que tiverem nessa altura.

O aumento das taxas de juro agora anunciado vai ter impacto direto, por exemplo, nos créditos para a compra de habitação.

Numa primeira reação, o líder parlamentar do PS, Eurico Brilhante Dias, admite que a subida das taxas de juro do BCE vão mexer com o bolso dos portugueses, mas não já.

Eurico Brilhante Dias, que falava no final da reunião semanal com os deputados socialistas, salientou que as medidas anunciadas ontem pelo primeiro-ministro no debate do estado da Nação, para aliviar os efeitos da inflação, serão apresentadas em setembro e entrarão em vigor precisamente na altura em que a subida das taxas de juro começam a produzir efeito em Portugal.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+