Tempo
|
A+ / A-

OE2022

Segurança Social. Mais vagas em creches e mais alojamento urgente previstos

13 mai, 2022 - 14:29 • Ana Carrilho , Marta Grosso

O anúncio foi feito na audição parlamentar conjunta das comissões de Orçamento e Trabalho à equipa de Ana Mendes Godinho, a propósito da discussão na especialidade do Orçamento para 2022.

A+ / A-

Em setembro, as creches do setor social vão poder acolher mais de 42 mil crianças, anunciou nesta sexta-feira a secretária de Estado da Inclusão, Ana Sofia Antunes.

O Governo tem ainda o objetivo de atingir as 10 mil vagas na rede pública.

A secretária de Estado respondia a uma pergunta do PSD sobre a gratuitidade das creches, durante a audição conjunta das comissões parlamentares de Orçamento e Trabalho à equipa do Ministério do Trabalho (na qual a ministra Ana Mendes Godinho não pôde estar presente por ter testado positivo à Covid-19).

No que toca ao alojamento urgente - dirigido a pessoas em situação de grande vulnerabilidade ou em risco iminente, com vista à inclusão social, nomeadamente de pessoas sem-abrigo – Ana Sofia Antunes anunciou que os serviços da Segurança Social já receberam candidaturas para 2.800 vagas.

O objetivo do Governo é ter 1.500 vagas ocupadas até ao próximo ano e um terço no fim do verão deste ano, uma “meta intermédia que estabelece que, no final do terceiro trimestre deste ano de 2022, teremos 500 destas vagas de emergência, seja em centros de acolhimento temporário seja em residências de transição, já implementadas”.

O aviso já está aberto.

Um dos temas que tem sido recorrente nas questões dos deputados é o combate à pobreza extrema, nomeadamente das crianças. Segundo o secretário de Estado da Segurança Social, esse é um desígnio do Governo. Gabriel Bastos anunciou então que o Plano Nacional vai entrar em discussão pública muito em breve.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+