Emissão Renascença | Ouvir Online
A+ / A-

Secretária de Estado

Receitas do Turismo serão "80% a 85%" das alcançadas em 2019

31 mar, 2022 - 23:24 • Ana Carrilho

Questionada sobre a nova orgânica da secretaria de Estado do Turismo, que acolhe o Comércio e os Serviços, Rita Marques evita comentários. "Em breve, teremos outros motores, como o comércio e os serviços para garantir que continuamos a trabalhar no sentido de um maior dinamismo destas atividades empresariais”.

A+ / A-

Apesar dos indicadores positivos, a secretária de Estado do Turismo admite que 2022 ainda não será o ano da recuperação total do setor do Turismo.

Rita Marques sublinha que, apesar da guerra na Ucrânia, as reservas continuam a crescer e o primeiro trimestre já tem resultados otimistas.

Na comparação com 2019, a governante acredita que a receita turística deste ano deverá rondar os “80% a 85% das receitas turísticas no final de 2022”.

“Temos boas perspetivas de meses de janeiro, fevereiro e março interessantes. Se continuarmos a caminhar neste trajeto, acreditamos que podemos atingir os 85% das receitas turísticas que tivemos em 2019”, diz Rita Marques.

Turismo com comércio e serviços? “Não me cumpre comentar opções do primeiro-ministro”

No final da sessão de abertura do Congresso da Associação de Diretores de Hotéis de Portugal (ADHP), que decore até esta sexta-feira, em Vila do Conde, Rita Marques garantiu, ainda, que o Turismo não sai desvalorizado com a nova orgânica da secretaria de Estado, que junta o setor às áreas do Comércio e Serviços.

“Não me cumpre comentar as opções políticas do senhor primeiro-ministro. A mim cumpre-me executar, entregar e garantir que, dentro em breve, teremos outros motores como o comércio e os serviços para garantir que continuamos a trabalhar no sentido de um maior dinamismo destas atividades empresariais”, rematou a secretária de Estado do Turismo.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+