Tempo
|
A+ / A-

Polícia já identificou atacante de Manchester. Theresa May garante: “Terroristas não vão vencer"

23 mai, 2017 - 11:14

Primeira-ministra britânica fala num "ataque cruel”, perpetrado contra “crianças e jovens indefesos e inocentes”, fruto de uma “cobardia doentia”.

A+ / A-
Theresa May. "Os nossos valores irão prevalecer sempre"
Theresa May. "Os nossos valores irão prevalecer sempre"

Veja também:


A polícia britânica já sabe que foi o responsável pelo ataque na Manchester Arena, na segunda-feira à noite. A informação foi dada esta manhã aos jornalistas pela primeira-ministra britânica.

Após a reunião que manteve com a Comissão Cobra, departamento que reúne representantes das forças de segurança, Theresa May afirmou que a polícia "pensa já saber a identidade” do homem que explodiu o engenho à entrada daquela sala de espectáculos.

Contudo, “neste estado da investigação, ainda não podemos divulgar o nome”, acrescentou.

Nesta primeira conferência de imprensa, esta terça-feira de manhã, a governante condenou veementemente este “insensível ataque”, destacando-o dos outros pela sua cobardia.

“Todos os actos de terrorismo são ataques cobardes contra pessoas inocentes, mas este destaca-se pela sua doentia e assustadora cobardia, destinado a atingir jovens e crianças inocentes e indefesas, que deviam estar a aproveitar um dos mais memoráveis momentos da sua vida”, criticou.

Theresa May não tem dúvidas: o atacante quis causar “a máxima carnificina” quando escolheu o local e hora do crime. Este “foi um dos piores incidentes que experienciámos no Reino Unido. Apesar de não ter sido a primeira vez que Manchester sofreu algo do género, é o pior ataque que a cidade viveu e o pior de sempre no Norte de Inglaterra”.

Garantindo que as autoridades tudo irão fazer para levar os responsáveis à justiça, a primeira-ministra britânica elogiou todos quantos ajudaram a salvar vidas, “colocando a sua própria segurança em causa” e mostrou-se firme na luta contra o terrorismo.

“Nestes momentos, os políticos de todos os países condenam os atacantes e dizem que o terrorismo não vencerá. O facto de estarmos aqui hoje a dizer o mesmo não o torna menos verdadeiro”, garantiu.

Nos próximos dias, “vamos lembrar os que morreram e celebrar os que ajudaram, na certeza de que os terroristas nunca vencerão e que os nossos valores sempre prevalecerão”, frisou.

Nível de alerta em “severo”

O nível de alerta terrorista vai manter-se “severo” no Reino Unido. “Tal significa que a probabilidade de acontecer um atentado é muito alta”, explicou Theresa May.

A primeira-ministra resumiu depois a informação conhecida do ataque: “Às 22h33, a polícia recebeu um alerta da explosão na Arena de Manchester, perto da estação de comboios de Victoria”.

“Sabemos que um único terrorista explodiu um engenho artesanal à entrada, escolhendo esse local para causar a maior carnificina possível”, prosseguiu, adiantando que, “além do atacante, morreram 22 pessoas”.

Os 59 feridos estão a ser tratados em “oito hospitais” e alguns deles “correm risco de vida”.

Este foi o último atentado terrorista em solo europeu. Aconteceu no final do concerto da cantora norte-americana Ariana Grande, na altura em que milhares de jovens e crianças se preparavam para abandonar o local.

A cantora já se manifestou “devastada” e “sem palavras” na sua conta do Twitter.

O ataque deverá ser discutido na cimeira da NATO que se realiza no dia 25 em Bruxelas e na qual irá estar o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • B-One
    24 mai, 2017 Fragas 11:26
    É claro que o terrorismo vai vencer! E porquê? Ainda ontem ouvi na televisão um iluminado dizer que o terrorismo não tem credo nem rosto... Aldrabão! Toda a gente sabe quem são os terroristas e qual é a sua religião! Enquanto os ateus continuarem a governar o mundo, o terrorismo não acaba!
  • anónimo
    23 mai, 2017 belmonte 16:38
    Mas alguma vez se consegue vencer o terrorismo ?
  • Mario
    23 mai, 2017 Portugal 14:44
    Enquanto se continuar a receber e proteger esses ditos migrantes isto nunca ira acabar minha senhora. Deixe-se de hipocrisia e seja realista pois muitos atentados foram feitos por jovens ja nascidos nos paises de acolhimento. Isto e um ciclo vicioso provocado pelas politicas Europeias. No entanto continuam a trazer todos os barcos com migrantes que encontram no mediterraneo e traze-los para a Europa em vez de os recambiar para os seus paises de origem Enquanto nao limparem a Europa dessa corja isto nunca tera fim. A meu ver ha politicos que em verdade sao cumplices passivos destes atentados.
  • António Costa
    23 mai, 2017 Cacém 13:42
    Com 100 000 000 000 de Dólares? Claro que está a ganhar! Na "fase seguinte" uma Lei "anti-blasfêmia" irá acabar com os "sobreviventes" das explosões. É só uma questão de tempo, é o que acontece aos sapos "cozidos" em lume cada vez mais forte.
  • ALETO
    23 mai, 2017 Lisboa 13:33
    Mais um atentado encomendado por Theresa May para ganhar as próximas eleições de Junho e continuar à frente do governo britânico.
  • VIRIATO
    23 mai, 2017 CONDADO portucalense 13:14
    O José das 12.14 e o outro dos comentários das 12.20, querem tentar justificar o injustificável, para além de que a nossa língua nativa que é o PORTUGUÊS não é o forte desta turma...só é pena não ser os filhos deles, porque se calhar não relinchavam assim. Mas também desconfio que pelo palavreado não devem ser pais...não têm capacidade para isso. TRAIDORES À PÁTRIA que gostavam de usar burka.
  • para este idiota!
    23 mai, 2017 do r-q-tparta 13:08
    "Oh dos comentários de intoxicadores radicais" a tua cabeça é que anda intoxicada. Os que pensam como tu é que deveriam sofrer na pele como todos aqueles que têm perdido a vida. Quem é que percebe de terrorismo, tu?! Se for como o teu comentário, vê-se logo do grande nabo de que se trata. Quem faz os atentados não são as bestas islâmicas?! Ou será que queres fazer do mundo um mundo muçulmano para que possas beneficiar de alguns costumes que eles querem impor? PARVALH~ Tinha que vir para aqui um burro que só vê as coisas pelo canto de um olho, e ainda com cataratas.
  • comentarios
    23 mai, 2017 pt 12:20
    de intoxicadores radicais que pensam que o terrorismo se combate com medidas de segregação social de povos, não sabem o que é terrorismo!...
  • josé
    23 mai, 2017 felgueiras 12:14
    Nunca esquecer que os grandes causadores disto tudo são os quatro malandros que iniciaram a guerra no IRAQUE: BARROSO, AZNAR, TONYBLAER e BUSH.
  • Joao Sem Paciencia
    23 mai, 2017 Lisboa 12:13
    Eles não vão vencer, eles estão a vencer em toda a linha e a provar que nós somos uns mongolóides. Toda a nossa sociedade está a mudar a toque da batuca dos Cães do Deserto. Não são as mortes nem o "terror" espalhado que constituem a vitória destas desumanas criaturas. São todas as transformações resultantes do terrorismo nas nossas “democracias” que se reflectem no mais pequeno e ínfimo pormenor. Hoje em dia o meu filho com 5 anos é apalpado num aeroporto recebendo um tratamento igual equivalente a um suposto criminoso. Levo uma pasta de dentes num bolso e arrisco-me a ser interrogado que nem um bandido e ficar sem a pasta de dentes. Um amigo meu fico detido no aeroporto para interrogatório porque se esqueceu de declarar uma espingarda de caça submarina (um arpão com elásticos). Perdeu o avião e uma semana quando precisava de vir de urgência a um hospital. Esqueço-me de uma mochila em qualquer lado e arrisco-me a que a próxima vez que lhe ponha a vista em cima é depois de a explodirem por motivos de segurança. Passámos a gastar biliões em segurança que acaba por nos cair em cima com perca de liberdade. A nossa vida passou a ter uma fatia ainda pior dedicada a burocracias e em filas de espera. Os governos passaram a ter ferramentas para nos atacarem quase indiscriminadamente debaixo da manto de protecção da segurança contra o terrorismo. Somos vigiados e escutados 24 horas por dia e cada vez mais temos a vida toda controlada de tal forma forma que nos traçam um perfil que nos

Destaques V+