A+ / A-

PS saúda discurso de menor "crispação" de Cavaco Silva

30 out, 2015 - 13:50

João Galamba gostou do tom "cordato" do discurso de Cavaco Silva na tomada de posse do novo Governo.

A+ / A-

O PS saúda o discurso "cordato" do Presidente da República na tomada de posse do XX Governo Constitucional.

“Foi um discurso cordato e de acordo com as normas democráticas”, referiu João Galamba, vice-presidente da bancada parlamentar socialista, aos jornalistas no Palácio da Ajuda, em Lisboa, onde decorreu a cerimónia.

Para Galamba, o discurso esteve “de acordo com as normas democráticas” e distinguiu-se do anterior, “de crispação”.

Quanto a futuras acções do PS, o membro do Secretariado Nacional do partido não quis adiantar nada de novo. “O meu partido já deixou claro qual será a sua posição", disse.

O vice-presidente da bancada socialista no Parlamento foi o único elemento da maioria de esquerda a marcar presença na tomada de posse desta sexta-feira.

No seu discurso, o Presidente da República lembrou a “plena legitimidade constitucional” no novo Governo.

Para Cavaco, os “portugueses manifestaram-se de forma inequívoca” e apoiaram a “opção europeia”. Lembrou também que, “até ao momento”, não lhe tinha sido “apresentada, por parte das outras políticas, uma solução alternativa de Governo estável e credível”.

Cavaco Silva disse ainda que “o Governo inicia funções num tempo de grande exigência, que requer de todos um elevado sentido de responsabilidade” e conclui que, “sem estabilidade política, Portugal tornar-se-á um país ingovernável. E, como é evidente, ninguém confia num país ingovernável”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Ó adriano moreira
    30 out, 2015 Pt 18:24
    Pois não vale tudo! Basta ter a maioria dos deputados no parlamento a apoiá-lo. É assim a democracia! Felizmente a direita radical ficou em minoria! Perdeu 700 mil votos e 26 deputados! É assim que funciona a democracia! Não sabia? Santa ignorancia!
  • rosinda
    30 out, 2015 palmela 16:08
    Qual crispacao nunca dei por nada!
  • Adriano Moreira
    30 out, 2015 Castelo de Paiva 15:40
    Depois de toda conversa estou convencido de que o António Costa prometeu a algum santo ou a outra pessoa que seria um dia 1º ministro. Só que não vale tudo para conseguir esse objectivo.

Destaques V+