A+ / A-
Braga

PJ detém suspeito de "forçar alcoólico a beber até à morte"

12 jul, 2019 - 12:19 • Lusa

Na quarta-feira, um homem foi encontrado morto e dois inanimados e com ferimentos graves, com “uma caixa de vinho ao lado”, numa rua do centro de Braga.
A+ / A-

A Polícia Judiciária (PJ) de Braga deteve uma pessoa suspeita de envolvimento na morte de um sem-abrigo, na quarta-feira, no centro da cidade, disse fonte da judiciária, acrescentando que é presente, esta sexta-feira, às autoridades para primeiro interrogatório.

“[O suspeito] vai hoje ser presente a juiz para primeiro interrgatório e aplicação das medidas de coação tidas como necessárias”, acrescentou a fonte.

Na quarta-feira, um homem foi encontrado morto e dois inanimados e com ferimentos graves, com “uma caixa de vinho ao lado”, numa rua do centro de Braga.

Os outros dois homens que “apresentavam sinais de excesso de consumo de álcool” foram encaminhados para o Hospital de Braga, sendo que tiveram alta “ao fim de algumas horas”, disse hoje à Lusa fonte da unidade de saúde.

Fonte da proteção civil disse à Lusa que “todos tinham sinais de terem consumido álcool em excesso, mas que a bebida estaria alterada pelo cheiro que se sentia”.

De acordo com a edição de hoje do JN, o detido é suspeito de “ter forçado um alcoólico a beber até à morte” e “terá admitido a sua responsabilidade nos acontecimentos, ainda que não tenha explicado, de forma coerente, por que terá forçado os três homens a beber uma mistura que se revelou fatal”.


legislativas 2019 promosite
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.