Tempo
|
A+ / A-

Missão da Santa Sé na ONU vai condecorar Ajuda à Igreja que Sofre

24 abr, 2019 - 11:58 • Filipe d'Avillez

A diretora do secretariado português da fundação agradece a todos os benfeitores nacionais que ajudam a AIS a desempenhar o seu trabalho em defesa dos cristãos perseguidos no mundo.

A+ / A-

A Missão Permanente da Santa Sé junto das Nações Unidas vai condecorar a fundação Ajuda à Igreja que Sofre pelo seu trabalho em prol dos cristãos perseguidos.

A atribuição do prémio “Caminho para a Paz” é dada em conjunto com a fundação Caminho para a Paz e terá lugar no dia 22 de Maio.

Para Catarina Martins Bettencourt, diretora do secretariado da AIS em Portugal, este prémio vem reconhecer o “trabalho único que a Ajuda à Igreja que Sofre desempenha junto das comunidades cristãs perseguidas no mundo”.

Numa nota enviada à Renascença pela própria AIS, Catarina Martins Bettencourt acrescenta que este trabalho “só é possível graças aos benfeitores e amigos da instituição, nomeadamente em Portugal, que com a sua generosidade extraordinária permitem a concretização de milhares de projetos pastorais e de ajuda humanitária junto dos irmãos que mais sofrem”.

O prémio será entregue pelo arcebispo Benrardito Auza, observador permanente da Santa Sé junto às Nações Unidas ao presidente executivo internacional da AIS, Thomas Heine-Geldern, em Nova Iorque.

Segundo a nota enviada à Renascença, a AIS financia cerca de 5.500 projetos em 140 países. O ano passado estes projetos corresponderam a um investimento de cerca de 110 milhões de euros.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Paula Marques
    24 abr, 2019 15:18
    Bravo ... sou benfeitora da AIS e é com prazer que vejo o trabalho feito pela Ais reconhecido

Destaques V+