A+ / A-

Papa aceita renúncia do arcebispo de Santiago do Chile

23 mar, 2019 - 11:19 • Redação

O cardeal Ricardo Ezzati é suspeito de encobrir, durante anos, abusos sexuais cometidos por sacerdotes.
A+ / A-

Veja também:


O Papa Francisco aceitou a renúncia do cardeal Ricardo Ezzati, arcebispo de Santiago do Chile, na sequência do escândalo de abusos sexuais, anunciou este sábado a Santa Sé.

O bispo de Copiapó, D, Celestino Aós Braco, foi nomeado administrador apostólico da arquidiocese de Santiago até haver um novo arcebispo.

O cardeal Ricardo Ezzati é suspeito de encobrir, durante anos, abusos sexuais cometidos por sacerdotes da Igreja Católica chilena.

Entre os casos de encobrimento está o do padre Oscar Munoz Toledo, antigo assessor da arquidiocese de Santiago, que vai ser julgado por, alegadamente, ter violado e abusado sexualmente pelo menos cinco crianças.

Em setembro do ano passado, o Papa Francisco afastou do sacerdócio o padre Fernando Karadima, que está no epicentro do escândalo de abusos sexuais no Chile. Karadima, de 88 anos, já tinha sido condenado em 2011, pela justiça canónica, a uma vida de reclusão e penitência pelos abusos sexuais.

Para combater o flagelo dos abusos sexuais na Igreja Católica, o Vaticano realizou, no passado mês de fevereiro, uma cimeira com bispos de todo o mundo.

No discurso de encerramento da cimeira sobre abusos sexuais e proteção de menores, que decorreu ao longo dos últimos quatro dias em Roma, o Papa Francisco deu oito orientações para se combater o fenómeno na Igreja e no resto da sociedade, e de acompanhamento das vítimas.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Graça Aguiar Pereira
    23 mar, 2019 12:17
    MAS É QUE EXISTE MUITOS OUTROS DE "ABUSOS SEXUAIS" PADRES - NA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA - SÓ QUE ESTÁ TUDO CAMUFLADO! ESSES PADRES NÃO SÃO DIGNOS! DEVIAM RENUNCIAR A IGREJA!