A+ / A-

Roger Waters elogia canção "profundíssima" e talento de Conan Osíris... mas pede-lhe que boicote a Eurovisão

16 mar, 2019 - 22:23 • Tiago Palma

O antigo músico da banda Pink Floyd terá sido, garante, informado “por amigos” da intenção (ao não comparecer em Telavive) de Conan Osíris em boicotar Eurovisão, como forma de protesto pela ocupação israelita da Palestina. "Conan pode ser lembrado por ter defendido o lado certo da história", apela Roger Waters.
A+ / A-

Roger Waters, o histórico líder da banda Pink Floyd, dedicou este sábado, no Facebook, uma publicação – intitulada “És tu o tal?” – a Conan Osíris, o vencedor do Festival da Canção e representante português na Eurovisão, em maio.

Waters começa por lembrar que, há alguns dias, endereçou uma carta a Conan Osiris, alguém que descreve como “um jovem e talentoso cantor português”. “Ouvi a canção dele e só depois tive a tradução da letra, que fala do uso de um telemóvel para fazer perguntas sobre a vida, a morte e o amor”, explica, concluindo que a canção de Conan Osíris “era profundíssima”.

Mas esta não é uma publicação meramente elogiosa; é um apelo de Waters ao português.

O músico britânico garante que terá sido informado “por amigos” da intenção (ao não comparecer em Telavive) de Conan Osíris em boicotar Eurovisão, como forma de protesto pela ocupação israelita da Palestina e os crimes de guerra perpetrados pelo regime de Benjamin Netanyahu contra aquele povo.

“Escrevi-lhe para lhe sugerir que ele tem aqui a oportunidade de erguer a sua voz em nome da vida e contra a morte, erguer a sua voz pelos direitos humanos e contra os erros humanos”, explica. Segundo Roger Waters, Conan pode, recusando participar na Eurovisão, “ficar de pé”, lado a lado com “os irmãos e irmãs oprimidos” da Palestina, “solidarizando-se com os 189 manifestantes – incluindo 35 crianças – desarmados que foram mortos a tiro por Israel em Gaza no ano passado”.

“Ele [Conan] deve abster-se de partilhar a sua arte e ‘lavar’ a sistemática limpeza étnica de Israel sobre os palestinianos para expandir e manter o seu apartheid”, conclui.

Waters explica que, “infelizmente”, ainda não obteve resposta na volta de Conan Osíris, talvez porque, acredita, “o jovem Conan foi pessoalmente abordado e persuadido a ir à final por uma organização”. A organização, garante o músico, é a Creative Community for Peace (CCfP), uma organização “de extrema-direita” ligada, segundo Roger Waters, à “propaganda” de Israel – tendo Conan sido, com uma “mistura de ameaças e promessas”, persuadido a participar.

Entre os 42 finalistas da Eurovisão, Conan é, para Roger Waters, “aquele que traz amor suficiente no coração para se erguer e fazer a diferença”. “[Conan] pode ser lembrado por ter defendido o lado certo da história, defendido o amor, paz e justiça de verdade. Sê o tal, Conan”, apela.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Vitor Prata
    16 mar, 2019 23:21
    "Lado certo da historia", Estes sujeitos andam a mancar conosco. Ele que se limite a cantar, que nós gostamos de o ouvir, mas que se deixe de tretas politico-ideologicas.