A+ / A-

Papa agradece aos coptas o seu exemplo de martírio

07 jan, 2019 - 14:08 • Filipe d'Avillez

Francisco mandou uma mensagem de vídeo por ocasião da inauguração de uma nova catedral da Igreja Copta, que esta segunda-feira assinala o Natal.
A+ / A-

O Papa Francisco agradece aos cristãos do Egito o seu testemunho de fé, frequentemente manifestado através do martírio.

Numa mensagem de vídeo enviada ao líder da Igreja Copta, o Papa Tawadros, Francisco pediu ainda o dom da paz para o Egipto e para todo o Médio Oriente.

“Saúdo de forma especial o meu irmão, Sua Santidade o Papa Tawadros II e a querida Igreja Copta Ortodoxa, que tem sido capaz de dar verdadeiro testemunho de fé e de amor, mesmo nos momentos mais difíceis”, disse Francisco.

“Queridos irmãos e irmãs, vocês têm os mártires que fortalecem a vossa fé. Obrigado pelo vosso exemplo”, referiu ainda.

O vídeo do Papa foi exibido na noite de domingo para segunda, durante a inauguração de uma nova catedral, naquela que vai ser a capital administrativa do Egito. A Catedral da Natividade foi inaugurada precisamente de domingo para segunda porque os coptas, que seguem o seu próprio calendário litúrgico, assinalam no dia 7 de janeiro o Natal.

O presidente do Egito, Abdel el-Sisi, também estava presente. Este foi o segundo ano consecutivo em que Sisi marcou presença nas celebrações de Natal dos coptas.

Os coptas são a maior comunidade cristã de todo o Médio Oriente. Não há números concretos, mas calcula-se que rondem os 12 milhões, mais de 10% da população, que na sua maioria é muçulmana. Embora os cristãos sejam os descendentes dos egípcios antigos, e de o Islão apenas ter chegado ao país com as invasões árabes, no Século VII, nos últimos anos os coptas têm sido vítimas de forte perseguição, tanto às mãos do Estado como de grupos extremistas.

A situação atingiu extrema gravidade debaixo da presidência de Mohammed Morsi, que era da Irmandade Islâmica, levando os cristãos a apoiar maioritariamente o golpe que colocou o general Sisi no poder. Hoje os principais problemas são com grupos armados fundamentalistas. No domingo um polícia morreu equanto tentava desativar um carro armadilhado que estava junto a uma igreja, no leste do Egito.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.