A+ / A-

Fornecedoras do mercado livre anunciam descida dos preços da luz para 2019

27 dez, 2018 - 13:41 • Sandra Afonso com redação

Quatro empresas vão seguir a deixa da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos, mas descidas variam.
A+ / A-

Primeiro veio o anúncio da EDP Comercial, que detém 81% do mercado livre, de que vai descer os preços da eletricidade em 3,5% já a partir de janeiro.

O anúncio chegou em linha com o que tinha sido avançado pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) antes do Natal, quando confirmou que as tarifas de eletricidade no mercado regulado iam descer 3,5% para os consumidores domésticos a partir de 1 de janeiro.

No seguimento disso, o Ministério do Ambiente veio garantir que a fatura da luz ia descer "para todos" em 2019, algo que se confirma agora com outras três empresas do mercado livre a anunciarem esta quarta-feira as suas próprias descidas.

Na Endesa, as tarifas vão cair uma média de 6,3%, contra 4% na Goldenergy. Já na Iberdola, a descida estará alinhada com a recomendação do regulador, o corte de 3,5% que a ERSE vai aplicar nas tarifas do mercado regulado.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Filipe
    27 dez, 2018 évora 20:13
    Sabem o que vai compensar esta descida e daí ainda lucrar o Estado , é que ninguém falou ainda ; O aumento do IMI para 2019 . O valor médio de construção aumenta na fórmula de 603 para 615 euros e o coeficiente de localização foi todo revisto em alta , chegando casos de passar de 0,6 para 1,2 . Calculem na fórmula do IMI os novos valores e ficarão a saber que em casos que se pagava 107 euros passam para 145 euros anuais . Boa artimanha deste Governo ?