A+ / A-

Vem aí o "Leslie". Oito medidas para se prevenir contra a tempestade

13 out, 2018 - 12:48 • Rui Barros

Proteção Civil dá dicas sobre o que fazer para garantir a sua segurança e minimizar o impacto do furacão "Leslie", que deverá atingir o território continental do país já como tempestade tropical.
A+ / A-

Treze dos 18 distritos do continente vão estar, a partir deste sábado, sob aviso vermelho devido à chegada a Portugal Continental do furacão "Leslie", que deverá atingir o território continental do país já como tempestade tropical.

A partir do final da tarde é esperado muito vento, chuva e forte agitação marítima. As últimas previsões do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) apontam para a ocorrência de vento médio de 40 a 65 km/h com rajadas de vento máximas até 120 km/h entre as 19h de sábado e as 07h locais de domingo, em especial na costa ocidental e nas terras altas.

Porque o eventual impacto desta tempestade pode ser minimizado se a população adoptar alguns comportamentos adequados, a Autoridade Nacional da Proteção Civil lembra algumas medidas a adoptar para a sua segurança:

1 - Garantir que está tudo bem fixo

De forma a evitar que o vento arraste estruturas suspensas, a ANPC recomenda que, antes da chegada da tempestade, garanta que eventuais estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas, estão suficientemente fixas;

2 - Cuidado com as árvores

Durante tempestades como estas, é preciso ter um cuidado especial na circulação e permanência junto de áreas arborizadas. Esteja atento para a possibilidade de queda de ramos e árvores, em virtude de vento mais forte e retire os seus veículos de zonas com árvores que sejam suscetíveis de ceder à força do vento;

3 - Evite circular na rua, particularmente junto ao mar

A ANPC recomenda que evite andar na rua entre as 23 horas e as 4 da manhã, sobretudo nas zonas costeiras.

A par do vento e da chuva, a agitação marítima deverá ser bastante elevada. Por isso, a ANPC recomenda que tenha especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a galgamentos costeiros, evitando a circulação e permanência nestes locais.

4 - Evitar qualquer atividade relacionada com o mar

Evite atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar. Evite ainda estacionar próximo da orla marítima;

5 - Garanta que caleiras e outros sistemas de escoamento estão bem limpos

Um Verão sem chuva e um Outono onde inevitavelmente as folhas caem pode levar a que caleiras e outros sistemas de escoamento de águas fiquem entupidos. Garante que tudo isto está bem limpo e desobstruído. Retire qualquer objecto que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas;

6 - Condução defensiva

Adopte uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível acumulação de neve e formação de lençóis de água nas vias;

7 - Evite as zonas inundadas

Caso a situação se complique, evite atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas.

8 - Esteja contactável e informado

A trajectória de um furacão é demasiado imprevisível, pelo que o cenário pode alterar-se a qualquer momento. Esteja atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Teixeira
    14 out, 2018 Villa Riba 00:26
    8 medidas: 1- limpar as bermas das estradas; 2- cortar as árvores envelhecidas; 3- manter a rede de drenagem desobstruída; 4- tapar todos os buracos nas estradas; 5- colocar nas vias sinalização adequada; 6- equipar os bombeiros com meios técnicos e humanos para socorrer a tempo e horas; 7- Menos tempo de antena na rádio e televisão; 8- Assumirem as responsabilidades!