Três gerações de actrizes estreiam peça no D. Maria II

19 jun, 2014 • Maria João Costa

Inês Castel-Branco, Paula Mora e Catarina Avelar sobem ao palco para falar da vida, da memória, da morte.
"Três Mulheres Altas" estreia-se esta quinta-feira no Teatro Nacional D. Maria II, em Lisboa. A peça do dramaturgo norte-americano Edward Albee é uma obra pessoal, escrita após a morte da sua mãe adoptiva.

Em palco, o encenador Manuel Coelho reuniu Inês Castel-Branco, Paula Mora e Catarina Avelar. Três actrizes portuguesas, de três gerações diferentes, que no fundo são apenas uma mulher nas suas diferentes idades.

Com figurinos do estilista Dino Alves, "Três Mulheres Altas" fala da vida, da memória, da morte. Em suma, da natureza humana.

“Está aqui muito presente o ódio que nós podemos ter, os preconceitos, as paranóias… E isso é o que mais me encanta neste texto, a desconstrução do humano”, conta à Renascença o encenador Manuel Coelho.

A peça está em cena na sala Garrett até ao dia 14 de Julho.