Tempo
|

Papa condena violência na Nigéria

20 jun, 2012 • Ecclesia

Violência inter-religiosa volta a ensombrar a Nigéria. Fim-de-semana viu quase 100 mortes.  

Papa condena violência na Nigéria
O Papa manifestou hoje “profunda preocupação” perante os atentados terroristas, “dirigidos, sobretudo, contra fiéis cristãos”, que têm provocado dezenas de mortes na Nigéria.

“Apelo aos responsáveis pela violência para que cesse imediatamente o derramamento de sangue de tantos inocentes”, disse Bento XVI, falando durante a audiência pública desta semana, na sala Paulo VI do Vaticano.

O Papa assegurou as suas orações “pelas vítimas e por quantos sofrem”, pedindo a “plena colaboração de todas as partes da sociedade da Nigéria, para que não se persiga o caminho da vingança”.

Segundo Bento XVI, todos os cidadãos devem cooperar “para a edificação de uma sociedade pacífica e reconciliada, na qual seja tutelado plenamente o direito de professar livremente a própria fé”.

Cinco igrejas cristãs do Estado de Kaduna, no norte da Nigéria, foram alvo, este domingo, de atentados reivindicados pelo grupo fundamentalista islâmico ‘Boko Haram’, o que acontece pela terceira semana consecutiva.

Os ataques foram seguidos por acções de represálias levadas a cabo por grupos armados contra a comunidade muçulmana, provocando pelo menos 48 mortes.

As vítimas dos atentados contra as igrejas são 23, incluindo quatro crianças que brincavam diante da Catedral de Zaria e mais dez crianças da escola da igreja evangélica de Wusasa.

O ‘Boko Haram’ – nome em língua hausa que significa ‘a educação ocidental é pecaminosa’ – pretende a implementação da lei islâmica, a sharia, e é considerado responsável pela morte de 580 pessoas este ano, segundo a Rádio Vaticano.