Tempo
|

Pobreza infantil “deve-se sobretudo ao desemprego”

06 nov, 2014

O bispo do Algarve diz que a Igreja procura responder às dificuldades no que lhe é possível.

O bispo do Algarve alerta para os mais recentes dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) sobre a pobreza infantil. Praticamente um terço das crianças até aos 17 anos (30%) aparecem situadas num contexto social de pobreza.

“Penso que esta situação se deve sobretudo ao desemprego”, diz D. Manuel Quintas à Renascença, salientando que a sua região não escapa a esta realidade: “As câmaras, que assistem sobretudo as crianças, seja no primeiro ciclo, seja logo a seguir nas escolas, sabem muito bem aquelas que se incluem nos diversos escalões e que precisam dos diferentes apoios”.

Quarteira, Albufeira, Faro e Portimão serão as cidades mais problemáticas, tanto mais que viram muita gente ligada à construção ficou sem emprego. A Igreja, através das suas instituições, como a Cáritas ou os próprios grupos sociais paroquiais, acorre aos mais necessitados, procurando, segundo D. Manuel, “dar a resposta que nos é possível”.

Crianças com fome pela Europa
Nos próximos dias, o Algarve vai receber uma exposição de fotografia criada pela Cáritas, que tem sede em Bruxelas, sob o tema "Vozes das Crianças na Pobreza". A mostra tem como objectivo despertar consciências para a problemática da fome das crianças, de acordo com o presidente da Cáritas Diocesana do Algarve, Carlos Oliveira.

A exposição, que retrata a pobreza em várias partes da Europa, é acompanhada de testemunhos de crianças, incluindo de Portugal.

“Através da fotografia e de frases que as próprias crianças expressaram, dá-se a ideia do quão é difícil ver uma criança com fome e não termos a resposta para ela”, explica Carlos Oliveira à Renascença.

“Se formos olhar ao depoimento da criança que fala de Portugal, onde ela bate é, precisamente, no desemprego e que a mãe chora muitas vezes, porque não tem o que lhe dar de comer”, revela.

A exposição vai estar patente no Museu Municipal de Faro até ao dia 13 deste mês. A 14, segue para Portimão, onde fica até ao dia 20, seguindo para Tavira, onde fica até ao dia 24.

`Vozes de Crianças na Pobreza’ é uma exposição itinerante para mostrar que as crianças não podem esperar com fome enquanto a crise dura.