Tempo
|

Bispo de Vila Real convida cristãos à centralidade em Cristo

27 mar, 2013 • Olímpia Mairos

“Exorto-vos a cultivar a fé, a esperança e amor a Cristo, despojados de vós mesmos, sustentados, pela oração assídua e fervorosa, certos de que a Igreja de que fazemos parte e na qual trabalhamos, não é nossa, mas é a vinha e obra de Deus”, escreve D. Amândio Tomás.

Bispo de Vila Real convida cristãos à centralidade em Cristo
Partindo da essência da Eucaristia, que “cria e anuncia a união com Cristo glorioso”, “memorial da Sua morte, sinal sacramental de fé, amor e esperança nos bens e na vida eterna”, o bispo de Vila Real convida, nesta Páscoa, os cristãos a acolher o apelo de João Paulo II e Bento XVI a abrirem-se a Cristo e “a caminhar, a não parar, a ir mais além, a olhar o futuro, com esperança, certos de que Jesus caminha connosco”, como exorta o recém-eleito Papa Francisco.

Na sua mensagem pascal, o bispo de Vila Real refere ainda que “Cristo não tem sucessores”, mas sim “discípulos, seguidores e testemunhas“, e apresenta Bento XVI, a quem apelida de “génio humilde”, como modelo de quem segue radicalmente a Cristo “na humildade, no despojamento e na responsabilidade” - virtudes que, segundo D. Amândio Tomás, levaram o agora Papa emérito a abdicar “noutro, com mais forças e menos idade, para que ele emprestasse a visibilidade e energias a Cristo, para bem do Seu corpo que é a Igreja”.

D. Amândio Tomás apresenta ainda o exemplo de São Paulo, para incentivar os fiéis à esperança, ao anúncio e ao testemunho de Cristo Ressuscitado - “Cheio da esperança na Ressurreição, (Paulo) fala com ardor de Jesus, Caminho, Verdade e Vida que se sujeitou à morte para a vencer. Sem medo nem vergonha, fala, sofre e labuta, pelo Evangelho”.