Tempo
|

Morreu o "padre motard"

25 mar, 2013 • Liliana Carona, com agência

Padre José Fernando Lambelho ficou conhecido por conciliar o sacerdócio com o amor pelas motas, que passava por bênçãos de motas e capacetes. O enterro terá lugar quinta-feira dia 27, em Aldeia de Joanes.

O padre José Fernando Lambelho, conhecido como “padre motard”, morreu na última noite na unidade de cuidados paliativos do Hospital do Fundão.

O sacerdote de 55 anos, natural do concelho do Fundão, faleceu cerca das 22h00 de domingo, vítima de cancro, após oito anos de tratamentos.

Ficou conhecido por conciliar o sacerdócio com o amor pelas motas, com missas que juntavam milhares de motociclistas para a bênção das motas e dos capacetes. Segundo o seu irmão, o diácono Francisco Lambelho, "padre motard" era um título de que se orgulhava: "Ele tinha muito orgulho nesse título. Não escondia, fazia questão de não esconder esse ministério ordenado."

Em 2011 foi lançada a biografia “Padre Motard - Boas curvas? se Deus Quiser”, assinada pela jornalista Rosa Ramos.

Uma das frases que lhe era atribuída retrata o humor com que conciliava a religião e a velocidade sobre duas rodas: “Até 100, Deus protege; a partir de 100? Pode acolher-nos”.

O mundo dos adeptos do motociclismo fica mais pobre com a sua partida, considera o seu irmão Francisco: "Havendo essa empatia muito forte, quando uma das partes cai, caiu uma grande parte. O motociclismo perdeu uma grande figura."

O enterro terá lugar quinta-feira dia 27, em Aldeia de Joanes, antecedida de missa às 17h, presidida pelo Arcebispo de Évora.

[Notícia actualizada às 13h59 de 26 de Março]