Tempo
|

Jovem que esfaqueou colegas não justificou ataque. Pais estão em choque

15 out, 2013

Rapaz, de 15 anos, vai ser ouvido esta terça-feira por um juiz do tribunal de menores em Sintra.

Jovem que esfaqueou colegas não justificou ataque. Pais estão em choque
O jovem que ontem alegadamente esfaqueou três colegas e uma funcionária da escola Stuart Carvalhais, em Massamá, não resistiu quando foi abordado e detido pela polícia.

“Quando foi interceptado por polícias não esboçou reacção, não foi violento, deixou-se levar”, explica à Renascença o subintendente Hugo Palma, acrescentando que o menor “mantinha um discurso de querer matar os colegas, sem que se percebesse alguma motivação concreta para tudo isto”.

O adolescente de 15 anos atacou vários colegas, na tarde de segunda-feira, depois de ter lançado um engenho pirotécnico para o interior, esfaqueando as pessoas que fugiam. Na sua mochila foram ainda encontradas duas embalagens de álcool etílico e um spray de gás pimenta.

A polícia procedeu ainda ao contacto com os pais. “O contacto com foi feito pelo comandante da esquadra de Massamá: ficaram em choque, totalmente surpreendidos com esta situação, como é normal.”

Segundo o comandante da divisão de Sintra da PSP, o jovem passou a noite no Comando Metropolitano de Lisboa e será esta terça presente a tribunal: ““Foi transportado ontem à noite para o Comando Metropolitano de Lisboa, uma vez que não temos um quarto apropriado para manter um menor durante a noite. Neste momento, uma equipa nossa foi buscá-lo para o levar ao tribunal de Sintra onde pensamos que vai ser ouvido por um juiz do Tribunal de Menores”.

Nenhuma das pessoas esfaqueadas "inspira cuidados", segundo o Hugo Palma. A funcionária, de 40 anos, que sofreu um golpe no pescoço e foi levada para o Hospital Amadora-Sintra, e um dos três alunos esfaqueados, um jovem de 16 anos, foram transportados para hospitais da Grande Lisboa, mas apresentam apenas ferimentos ligeiros, confirmou o responsável.