A+ / A-
F. Assis

“É decisivo para a saúde da nossa democracia saber o que se passou na Caixa”

12 fev, 2019 - 10:14

Comentadores da Renascença consideram que pedido de exoneração do governador do Banco de Portugal é uma forma de mudar o foco da polémica em torno do banco público.
A+ / A-
Francisco Assis e João Taborda da Gama - 12/02/2019
Francisco Assis e João Taborda da Gama - 12/02/2019

O eurodeputado socialista Francisco Assis considera que “é decisivo para a saúde da nossa democracia saber o que se passou na Caixa Geral de Depósitos”. Assis comenta assim o pedido de exoneração do governador do Banco de Portugal, no âmbito das averiguações sobre a concessão de créditos sem garantias no banco público.

Francisco Assis considera ainda que o pedido de exoneração "não abriu fragilidade nenhuma" relativamente a Carlos Costa. "Ele tomou a posição que se impunha, como homem reto e sério que é", diz.

O professor universitário João Taborda da Gama considera que este pedido do Bloco de Esquerda é uma "forma de tirar o foco da Caixa Gera de Depóstos". "[O BE) Fez uma boa jogada mediática, uma boa jogada política que é mover o foco daquilo que é a investigação à Caixa Geral e o que é que não foi feito no passado e passar o foco, mais uma vez, para o Banco de Portugal".


guialiga19_20_banner
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.