Tempo
|
A+ / A-

José Fernando Rio

"Gestão ruinosa do FC Porto obrigou à venda de Luis Díaz"

31 jan, 2022 - 13:20 • José Barata

José Fernando Rio, candidato à presidência dos dragões nas eleições de junho de 2020, comenta saída do colombiano para o Liverpool e reação de Sérgio Conceição, que falou em ausência de planeamento, por parte do FC Porto.

A+ / A-

O negócio da saída de Luis Díaz para o Liverpool deixou marcas no Dragão. O treinador Sérgio Conceição falou em falta de planeamento da SAD e admitiu que os objetivos têm de ser revistos, devido a esta saída.

Em entrevista a Bola Branca, José Fernando Rio, candidato vencido nas últimas eleições do FC Porto, lamenta a venda do colombiano neste momento da época, e critica a gestão da direção liderada por Pinto da Costa, apelidando-a de "desastrosa" e "ruinosa".

"Nenhuma equipa vende o seu principal jogador em janeiro, se não estiver em extremas dificuldades financeiras. O problema é que a gestão que tem sido feita no Porto nos últimos 10 anos leva a que, neste momento, tenhamos de prescindir do jogador mais desequilibrador e melhor marcador a meio do campeonato. O problema é a gestão que tem vindo a ser feita, que é desastrosa, que é ruinosa e que está a levar o clube para um caminho que pode não ter retorno", acusa.

Em entrevista recente à Renascença, José Fernando Rio tinha alertado para a necessidade de o FC Porto realizar encaixe financeiro substancial em janeiro, mas o empresário nortenho não deixa de anotar que, mesmo sendo um valor relevante, o montante apurado com a transferência de Díaz para o Liverpool "não era aquele que os adeptos esperavam por um jogador desta categoria".

"Ele tinha uma cláusula de rescisão de 80 milhões de euros. Entendo que o Porto estivesse obrigado a vender jogadores, as dívidas de curto prazo estavam a vencer, a UEFA também teve a sua intervenção, por isso, o Porto estava obrigado a fazer uma venda que trouxesse liquidez", observa, lamentando, contudo, que o os dragões não tenham tido possibilidade de reter Díaz por mais tempo, ou conseguir um encaixe superior.

O Liverpool paga 45 milhões de euros ao FC Porto e ficam ainda reservados outros 15 milhões, caso sejam atingidos objetivos previstos no contrato.

Olhando para a frente, José Fernando Rio espera que Sérgio Conceião "opere um milagre". "A saída [de Díaz] cria dificuldades acrescidas à equipa, porque perdeu o seu melhor jogador. Mais uma vez, os portistas esperam que o Sérgio Conceição opere um milagre e consiga descobrir uma solução à altura das necessidades do Porto", ressalva.

"Acho que a margem que Porto construiu até este momento pode ser suficiente para assegurar o primeiro lugar do campeonato. Mas vai custar mais, vai ser mais penoso. Ontem [domingo], com o Marítimo, a vitória e a exibição já não foram tão claras como têm sido nos últimos jogos. A saída de Luis Díaz pode ser desportivamente complicada, mas espero que não e que as soluções que existam possam ajudar a colmatar essa saída", deseja.

Nesta declarações à Renascença, José Fernando Rio afasta, por fim, um cenário de confronto entre Sérgio Conceição e Pinto da Costa, na sequência das críticas do treinador à falta de planeamento da SAD.

O candidato derrotado nas últimas eleições do clube anota que as palavras de Sérgio "foram contundentes", mas na linha do que tem sido o seu comportamento, desde que chegou ao FC Porto.

"Não acredito numa cisão com Pinto da Costa. Ambas se conhecem bem, claro que terá havido um momento de tensão, mas os dois sabem que é do interesse de ambos que o Porto seja campeão e que possa vencer a Taça de Portugal. No Porto todos remam para os mesmo lado. Por vezes há criticas, mas todos puxam para o mesmo lado e isso irá acontecer com o presidente e com o treinador", conclui.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • EU
    31 jan, 2022 PORTUGAL 18:23
    " todos puxam para o mesmo lado " disse quem já PERDEU. Sinceramente, fico irritado, mesmo zangado com estes Senhores. Se os OUTROS são piores que EU, porque será que EU não consigo convencer os que me podem dar o privilégio de os SUBSTITUIR? São ELES que estão errados, ou serei EU? Porque será?

Destaques V+