Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Guerra na Ucrânia

Liga Europeia de Natação proíbe russos e bielorrussos nos seus eventos

03 mar, 2022 - 15:48 • Lusa

LEN apoiará uma iniciativa humanitária concreta das federações de natação, artística e mergulho da Croácia, para receber atletas ucranianos e familiares como refugiados.

A+ / A-

A Liga Europeia de Natação (LEN) decidiu proibir atletas e equipas russas e bielorrussas nos seus eventos, até novo aviso, em resposta à invasão da Ucrânia, conforme anunciado, esta quinta-feira, pelo organismo.

Em comunicado, a LEN "condena veementemente as ações do governo russo apoiado pela Bielorrússia" e considera a invasão da Ucrânia "um ato de guerra, que destruiu a vida dos cidadãos ucranianos e é totalmente contra o espírito do desporto".

A decisão da LEN vem ao encontro das recomendações do Comité Olímpico Internacional (COI) e visa superar as condições práticas relacionadas com as decisões tomadas pelos vários países, bem como proteger a saúde, a segurança e o bem-estar de todos os atletas.

A LEN está empenhada em continuar o seu trabalho com a Federação Internacional de Natação (FINA), órgão que tutela a modalidade a nível mundial, para "implementar as medidas e as posições que defende" na "esperança de um futuro melhor".

Além disso, a LEN apoiará uma iniciativa humanitária concreta das federações de natação, artística e mergulho da Croácia, para receber atletas ucranianos e familiares como refugiados.

Este projeto, que é apoiado pela FINA e pelo Ministério do Desporto da Croácia, permitirá que os atletas ucranianos continuem a treinar e a representar o seu país em eventos internacionais.

A LEN adianta ainda que não será realizada ou atribuída à Rússia ou à Bielorrússia qualquer competição nos seus territórios, até novo aviso.

A FINA decidiu na terça-feira retirar ao presidente russo, Vladimir Putin, a Ordem que lhe atribuiu em 2014 e anunciou que os nadadores daquele país e da Bielorrússia só poderão competir como neutros, sem símbolos, bandeiras ou hinos, em resposta à invasão da Ucrânia.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+