Tempo
|
A+ / A-

Sindicado de Jogadores

Joaquim Evangelista defende mercado especial de transferências para jogadores na Ucrânia

28 fev, 2022 - 17:51

O presidente do Sindicato de Jogadores revela que vai ser pedida à UEFA e à FIFA a possibilidade dos jogadores que atuavam na Ucrânia serem inscritos por outro clubes.

A+ / A-

Veja também:


O presidente do Sindicato dos Jogadores, Joaquim Evangelista, anuncia a necessidade de criar um mercado de transferências especial para os jogadores que atuavam no campeonato ucraniano.

Em entrevista a Bola Branca, Evangelista, que está a colaborar com o regresso dos jogadores portugueses que atuam na Ucrânia, acredita que é preciso criar condições para que os jogadores que alinhavam no campeonato ucraniano - suspenso após invasão russa -, possam ainda competir esta época.

"Há a necessidade de criar um janela de transferências especial, para a inscrição dos jogadores que estavam a jogar na Ucrânia, assinando por outros clubes", entende.

Joaquim Evangelista explica ainda que o Sindicato está a tratar vários aspetos resultantes da saída dos jogadores da Ucrânia, como contratos, desvinculações, salários, novas inscrições e treinos.

"Para além do apoio de proximidade, a saúde mental é muito importante nestes casos e estamos a criar um conjunto de apoios internacionais para resolver algumas questões, como por exemplo a desvinculação dos jogadores, a sua inscrição noutros clubes, a questão do salário e a questão dos treinos, e já fomos contatados para disponibilizar o espaço que temos em Odivelas para receber jogadores nessas condições", revela.

Joaquim Evangelista detalha nesta entrevista à Renascença a colaboração que tem dado a jogadores portugueses e brasileiros que atuam na Ucrânia.

"Com a FIFPro, e com apoio do Sindicatos Romeno e Polaco temos tido a capacidade de ajudar os jogadores que estavam com mais dificuldades na Ucrânia, e este trabalho prossegue. Nós acompanhámos de perto o Nélson Monte, depois fomos contatados pelo Marlon, com jogadores do Shaktar e o do Dínamo e que já recebemos a informação que chegaram à Roménia", diz, antes de concluir.

"Hoje de manhã fomos contactados por três jogadores brasileiros para serem ajudadas. Destaco a importância de Fernando Gomes, o presidente da FPF que facilitou os contatos com o homólogo romeno e ucraniano", sublinha.

Ontem, no Estádio da Luz, a manifestação solidária com os ucranianos após a entrada de Yaremchuk no relvado correu o mundo. O ponta de lança entrou, recebeu a braçadeira de capitão, e foi aplaudido de pé pelo estádio, num momento de forte emoção. Joaquim Evangelista elogia a manifestação da Luz.

"Os benfiquistas replicaram aquilo que é o sentimento generalizado dos portugueses, e os jogadores internacionais também têm feito a diferença, numa guerra que não pode deixar ninguém indiferente porque diz respeito a todos", conclui.

Esta segunda-feira, FIFA e UEFA anunciaram a exclusão de clubes e seleções russas de participarem em provas europeias. A Rússia não vai estar no Mundial 2022 e o Spartak de Moscovo foi excluído da Liga Europa.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+