A+ / A-

​Seleção nacional beneficia mais por jogar em Turim do que em Lisboa

16 mar, 2021 - 09:15 • Pedro Azevedo

Nuno Teixeira, docente universitário no mestrado de treino desportivo, argumenta a proximidade geográfica de Turim às cidades dos compromissos seguintes da seleção para validar a escolha da Federação para o palco do jogo com o Azerbaijão.

A+ / A-

A seleção nacional vai concentrar-se em Turim, no norte de Itália, e não na Cidade do Futebol em Oeiras, como é habitual, e a equipa vai sair beneficiada, na opinião de Nuno Teixeira, docente universitário no mestrado de treino desportivo.

A decisão foi tomada há duas semanas e ficou a dever-se, à data, às restrições de viagens com origem e destino em Portugal e outros países, designadamente Inglaterra onde alinham 11 jogadores que estiveram nas últimas convocatórias de Fernando Santos.

Rui Patrício, Ruben Dias, João Cancelo, Nelson Semedo, João Moutinho, Bruno Fernandes, Ruben Neves, Bernardo Silva, Diogo Jota, Pedro Neto e Podence poderiam ficar privados de serem convocados

A seleção concentra-se na próxima segunda-feira em Turim, no centro de estágios da Juventus, para o jogo com o Azerbaijão, marcado para quarta-feira da próxima semana no estádio da "Vecchia Signora". Três dias depois, a equipa nacional joga em Belgrado com a Sérvia e no dia 30 no Luxemburgo.

Nuno Teixeira, docente universitário no mestrado de treino desportivo, defende que a seleção portuguesa, em cenário de pandemia, beneficia mais por jogar em Turim, do que em Lisboa, no arranque da qualificação para o Mundial.

“A distância entre as três localidades, onde a seleção irá cumprir com os seus compromissos, é muito menor do que aquela que se jogasse em Lisboa, facilitando o descanso e consequentemente os tempos de recuperação, que neste caso parecem-me ser os aspetos mais importantes, dado o já por si só carregado calendário que os jogadores têm nos seus clubes. Na minha opinião, esta é uma situação em que a seleção portuguesa sai mais beneficiada, do que prejudicada”, conclui Nuno Teixeira em entrevista a Bola Branca.

Ronaldo recomendou e Agnelli colaborou

Cristiano Ronaldo deu as melhores recomendações sobre o centro de estágios da Juventus e o presidente do clube de Turim, Andrea Agnelli, colaborou com a Federação Portuguesa de Futebol.

Nuno Teixeira considera que o fator casa para o capitão da seleção nacional é mais um dado favorável à equipa das quinas.

“A infraestrutura onde a seleção nacional irá habitar, neste caso, no centro de estágio da Juventus, traz inclusive, o benefício que Cristiano Ronaldo se sentirá ainda mais em casa. Quanto aos outros jogadores, parece-me que na realidade é-lhes indiferente se voam para Portugal ou para Itália, dadas as restrições pandémicas, pois de outra forma teríamos sempre que contar com a oportunidade de estabelecer alguns contactos com familiares e amigos e aí haveria, como é obvio, uma escolha evidente”, ressalva o docente universitário.

Primeira vez em casa emprestada

Frente ao Azerbaijão, será a primeira vez que a seleção faz um jogo no estrangeiro na condição de equipa visitada. O especialista em treino desportivo sustenta que os jogadores portugueses não irão estranhar.

“A situação pandémica que ainda vivemos faz com que o jogar em casa ou fora não tenha grande influência. Além do mais, jogadores do calibre dos da seleção nacional estão habituadíssimos a este tipo de contrariedades, se é que se pode chamar contrariedade a este tipo de situação”, refere.

A atual casa de Ronaldo será a casa emprestada da seleção, para o arranque da fase de qualificação para o Mundial de Futebol de 2022. O Portugal-Azerbaijão será em Turim. Os eleitos de Fernando Santos anunciados esta terça-feira às 12h30 viajam dois dias antes do jogo diretamente para o noroeste de Itália.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+