Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Manuel Boto: "Direção do Benfica tem legitimidade para continuar"

09 jul, 2021 - 20:00 • João Fonseca

Ex-dirigente, que fez parte da Comissão de revisão dos estatutos em 2010, esclarece que só uma renúncia ou um pedido de AG extraordinária pode levar a eleições.

A+ / A-

Manuel Boto, antigo vogal do Conselho Fiscal e elemento integrante da Comissão que participou na revisão dos estatutos do clube em 2010, considera que a Direção do Benfica tem condições para prosseguir.

Questionado por Bola Branca sobre o atual momento vivido no Benfica e quais os cenários possíveis à luz dos regulamentos, Manuel Boto assinala que, legalmente, a direção "tem legitimidade para continuar" nos três anos que restam de mandato, que começou em outubro.

"Temos uma situação de alguma forma equivalente a doença prolongada ou algo desse género. O presidente encontra-se ausente por tempo indeterminado, como tal tem a direção tem possibilidade continuar. Do ponto de vista jurídico, têm legitimidade para continuar. Do ponto de vista substancial é que se pode questionar essa situação, mas já estamos no campo subjetivo", explica o antigo dirigente encarnado.

Luís Filipe Vieira suspendeu as suas funções como presidente do Benfica; não renunciou. Manuel Boto refere que a suspensão, embora não "esteja prevista pelos estatutos, deve estar na lei geral", pelo que é admissível.

A realização de eleições antecipadas só acontecerá por uma de duas vias.

"Pode haver um pedido de assembleia geral conducente à destituição dos órgãos sociais ou precedido por um plenário, em que discutido o assunto, entendam que no interesse do Benfica se devem demitir e, então, convocar eleições antecipadas", esclarece Manuel Boto.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+