Tempo
|
João Duque n´As Três da Manhã
Terças e quintas-feiras, às 9h20, n'As Três da Manhã
A+ / A-
Arquivo
Envelhecimento. “Jovens, cada vez menos, a aguentar cada vez mais”

Joao Duque

Envelhecimento. “Jovens são cada vez menos, a aguentar cada vez mais”

11 jul, 2023 • Sérgio Costa , Olímpia Mairos


João Duque olha para o envelhecimento da população portuguesa e alerta para as “consequências dramáticas”, se nada for feito. Até agora – diz – o problema tem sido tratado com “uns pensos rápidos aqui ou acolá”.

O economista João Duque diz que hoje “os jovens são cada vez menos", mas têm que "aguentar cada vez mais”.

Na análise aos dados divulgados pela Pordata, que dão conta do progressivo envelhecimento da população portuguesa, o comentador d’As Três da Manhã diz que “há uma falta de orientação política para este problema, porque é daqueles problemas que não vai rebentar” amanhã, nem o ano que vem e, portanto, “como não é urgente, vai-se adiando”.

Na visão de João Duque, estamos, assim, “cada vez mais próximos de um problema gravíssimo, que vai juntar três problemas” e com “consequências dramáticas”.

Desde logo - diz o comentador - porque “há alteração profunda no comportamento de consumo das pessoas e no comportamento na vida do dia a dia. E estamos a falar de coisas muito simples, como é que as pessoas se movem, como é que vamos fazer o apoio domiciliário destas pessoas, como é que vamos cuidar da saúde delas, e como é que vamos garantir a sua pensão de reforma”.

“Isto vai ser um cocktail explosivo que nós sabemos que vai acontecer e que vai sendo tratado com uns pensos rápidos aqui, ou acolá, mas sem nunca se tratar e enfrentar o problema de uma forma muito radical”, alerta.

Questionado sobre qual seria a forma para enfrentar este problema, o economista entende que passa por “atrair jovens e criar emprego que seja muito produtivo”, isto porque nos próximos 30 anos vamos ter um sobrepeso excessivo de idosos, face aos jovens que estão a trabalhar”.

“Temos aqui um problema gravíssimo, que é como é que estes jovens vão aguentar com os impostos que já têm e o sistema de redistribuição da segurança social, de maneira a manter as pensões com o mínimo de valor que as pessoas que estão neste momento a aposentar-se exigem. E estas pessoas vão sobreviver muito mais tempo do que aquilo que era expectável”, adverte.

O comentador não deixa de assinalar a boa notícia: “As pessoas vão viver mais, vão ter mais tempo para usufruir daquilo que é o benefício das pensões." Contudo, deixa também o alerta de que “os jovens são cada vez menos, a aguentar cada vez mais”.

Favorecer a imigração para garantir o rejuvenescimento da população é outro dos caminhos apontados pelo comentador, atraindo “jovens em idade não só ativa, mas, também, reprodutiva, porque nós estamos a atrair muitos, também idosos, que vêm usufruir daquilo que são as nossas condições de vida, com as suas pensões garantidas pelos sistemas de saúde, portanto, sobrecarregam, assim, o nosso Sistema Nacional de Saúde”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.