Henrique Raposo n´As Três da Manhã
Segundas e sexta-feiras, às 9h20, n'As Três da Manhã
A+ / A-
Arquivo
Crise na habitação.  “O principal vilão desta história é o visto Gold”

Henrique Raposo

Crise na habitação. “O principal vilão desta história é o visto Gold”

24 mar, 2023 • Sérgio Costa , Olímpia Mairos


O comentador analisa a crise habitacional e aconselha a terminar com a “espécie de bolha dos absurdamente ricos a saltar de cidade em cidade”.

O comentador d’ As Três da Manhã Henrique Raposo considera, na análise à reportagem da Renascença sobra crise habitacional e as elevadas dificuldades que os jovens têm em encontrar um quarto a preços acessíveis, que “o principal vilão desta história é o visto Gold”.

“Eu acho que o principal vilão desta história é o visto Gold e aqueles estrangeiros absurdamente ricos que chegam a uma cidade como Lisboa ou Porto ou Aveiro e compram uma casa, mas não para viver”, destaca.

Dando como exemplo os jovens que tentam criar família e não conseguem ter uma casa, querem ir estudar para Lisboa e não conseguem, porque o quarto custa mil euros ou mais, o comentador admite que estamos perante uma “bomba-relógio”.

E o problema parece não ter uma solução à vista. Nem o programa Mais Habitação, cuja consulta pública termina esta sexta-feira, vai resolver o problema da falta de habitação no entender do comentador, que defende que é necessário aumentar a oferta disponível através de novas construções e menos burocracia.

Enquanto não se conseguir “um licenciamento mais rápido, porque temos mais casas a serem construídas” - diz Henrique Raposo - “e enquanto não se resolver aquele problema que é ter uma espécie de bolha dos absurdamente ricos a saltar de cidade em cidade” o problema não se resolve.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.