Tempo
|
Francisco Sarsfield Cabral
Opinião de Francisco Sarsfield Cabral
A+ / A-

Tempos estranhos

25 jan, 2023 • Francisco Sarsfield Cabral • Opinião de Francisco Sarsfield Cabral


O maior risco para o futuro da nossa democracia está no populismo, que lucra com a multiplicação de casos. Mas ao canto das sereias populistas saberemos opor os valores da democracia.

Vivemos tempos estranhos. Um governo que dispõe de maioria absoluta no parlamento e tem uma “bazuca” de dinheiro de Bruxelas para distribuir, atravessa uma crise grave ainda antes de completar um ano. O PS desce nas sondagens, mas o PSD não sobe e não oferece ainda uma alternativa credível ao governo do PS. Por sua vez, a Iniciativa Liberal, na convenção que elegeu a sua nova liderança, parece mais ocupada a discutir divergências internas do que a falar de soluções para os muitos problemas nacionais.

O maior risco para o futuro da nossa democracia está no populismo. Numa sondagem da Aximage o Chega alcança 12,9%, mais quatro pontos do que em setembro. E o líder do PSD continua a evitar traçar uma linha vermelha quando lhe perguntam se encara a possibilidade de vir a governar com o apoio do Chega.

A séria crise política que aí está representa uma oportunidade para os populistas bramarem contra “eles”, os políticos, cuja ética e competência não se mostram famosas, contrapondo as excelsas qualidades que atribuem ao povo, “nós”, pessoas de bem. Há quem não acredite que a democracia possa funcionar e oferecer soluções para os problemas que nos afligem, desde a alta do custo de vida até à falta de habitações a preço acessível, passando pela crise no Serviço Nacional de Saúde.

O 25 de Abril aconteceu há quase meio século e são cada vez menos as pessoas que viveram a falta de democracia que vigorou entre nós antes de 1974. Por isso o discurso populista acentua o risco de conduzir a uma qualquer ditadura.

A avalanche atual de casos é inédita. Agora ultrapassa as fronteiras do governo, abrange também autarquias e outras instituições. E cada vez mais se descobrem problemas que já eram conhecidos de jornalistas há anos. Perante a multiplicação de denúncias o Ministério Público e o restante sistema de justiça revelam dificuldades, o que se traduz em processos que se arrastam por longos anos.

Mas não pretendo ser demasiado pessimista. Ao canto das sereias populistas saberemos opor os valores da democracia.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.