Tempo
|
48k
Rubrica sobre tecnologia com a jornalista Cristina Nascimento para ouvir quarta-feira às 21h40 e sábado às 7h40.
A+ / A-
Arquivo
48k - Palhinhas Comestíveis - 03/11/2021

48k

Palhinhas de batata e tapioca para diminuir poluição dos oceanos e fazer tartarugas felizes

05 nov, 2021 • Cristina Nascimento , André Peralta (sonorização)


Pacote de 100 palhinhas custará 12 euros. São biodegradáveis em 90 dias e não têm quaisquer produtos químicos.

Sabia que só nos Estados Unidos, todos os dias, deitam-se fora 500 milhões de palhinhas de plástico? O número é impressionante e foi para ajudar a acabar com isto que dois amigos suíços criaram um negócio de palhinhas comestíveis.

Os dos amigos são de origem vietnamita e, numa viagem Vietname, ficaram muito impressionados, pela negativa, com a poluição causada pelo plástico e com um vídeo de uma tartaruga aflita com o resto de uma palhinha.

Decidiram então que tinham de fazer alguma coisa. Fizeram pesquisa e encontraram uma fórmula que combina batata e tapioca e permite criar palhinhas comestíveis, 100% compostáveis, biodegradáveis em 90 dias, sem qualquer produto químico e seguras para a vida marinha.

Prometem que se mantém rija mesmo que esteja duas horas dentro da bebida – o que é uma vantagem relativamente, por exemplo, às de papel.

A empresa foi uma das presenças na Web Summit e experimentámos a palhinha, que parece um canudo largo de massa. Não tem qualquer sabor e é de facto bastante rija, mas não testámos as duas horas dentro de líquido. Há em várias cores, obtidas de forma natural…

Uma caixa de 100 palhinhas custa 12 euros e, se tudo correr bem, pode passar a comprar online a partir de dezembro.

Resta dizer o nome da empresa: chama-se, traduzido à letra, Palhinha Tartaruga Feliz.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.