Tempo
|
Euranet
Decidir Europa
Todas as semanas, um convidado especial fala sobre os grandes temas da Europa e do mundo no programa "Decidir Europa", com edição do jornalista José Bastos.
A+ / A-
Arquivo
Decidir Europa - Luís António Santos e o jornalismo do futuro - 10/04/2021
Decidir Europa - Luís António Santos e o jornalismo do futuro - 10/04/2021

Decidir Europa

Luís António Santos e o jornalismo do futuro

10 abr, 2021 • José Bastos


Investigador da Universidade do Minho olha para bases de rigor, criatividade, pluralidade e confiança na comunicação de qualidade no pós pandemia.

Até que ponto mudou a nossa vida, a forma de escolher e consumir informação e se alterou a nossa opinião durante a pandemia?

Que legado fica deste período de crise sanitária para a produção e consumo de informação num período histórico – iniciado bem antes da Covid-19 – marcado pelo volume brutal de dados, informações – fake news também – ancorados nas redes sociais?

No caso imediato da pandemia os primeiros indicadores, ainda a ser depurados na academia, sugerem ter havido uma maior perceção do risco pandémico entre os setores sociais com maior exposição a notícias sobre o coronavírus.

Mas, claro, até os mais testados consumidores de informação, não são imunes às fake news. Notícias falsas que deram mesmo origem a fenómenos designados como infodemia, a pandemia informativa que promete prolongar-se no tempo muito para além da crise sanitária.

Num momento histórico marcado pelo volume avassalador de dados de todo o tipo e a todo o tempo em fluxo torrencial, o 'clique' é o veículo da escolha da plataforma onde recebemos a informação, mas também onde escolhemos a origem e, não menos importante, o formato.

Coincidindo com mais um aniversário de uma marca de referência da informação em português, vamos percorrer, com a ajuda do investigador e professor Luís António Santos, da Universidade do Minho, pistas e tendências que se devem manter e prováveis novos rumos do jornalismo e da comunicação do futuro. Que escolhas vão ser exigidas pelos consumidores e que desafios representam para quem produz a oferta de conteúdos?

O diálogo passará ainda pelo papel da União Europeia no diálogo que urge com os gigantes tecnológicos que - na sua posição dominante de mercado na pesquisa online - criam desequilíbrios, enquanto beneficiam de conteúdos jornalísticos sem pagarem o justo valor.

Por último, e não menos importante, ainda em análise dos riscos da intervenção do algoritmo e da IA que, nalguns casos, já substituem o fator humano nos processos de escolha editorial.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.