Tempo
|
Euranet
Decidir Europa
Todas as semanas, um convidado especial fala sobre os grandes temas da Europa e do mundo no programa "Decidir Europa", com edição do jornalista José Bastos.
A+ / A-
Arquivo
Rafael Campos Pereira e o futuro da fileira do metal
Rafael Campos Pereira e o futuro da fileira do metal

Decidir Europa

Rafael Campos Pereira e o futuro da fileira do metal

10 dez, 2021 • José Bastos


O líder executivo da Metal Portugal by AIMMAP analisa transição energética e digital no setor que fez as exportações de metalurgia crescerem 21,4% até setembro.

A produção de transformação de metais básicos está estreitamente ligada ao ciclo económico. À aceleração da procura mundial no período pré-Covid importa somar toda a quebra de crescimento na economia global provocada pela pandemia que teve o seu reflexo na menor procura de aço transformado e outros metais.

Apesar da retoma em curso, este pano de fundo teve reflexos na saúde da fileira do metal em Portugal que continua a ser campeã de exportações, mesmo não podendo agora evitar os fortes ventos cruzados das crises da energia, petróleo e matérias-primas que quintuplicaram alguns preços.

Não sendo pouco, esta indústria prepara-se para a transição ecológica, já que transição energética e transição digital caminham de mão dada. A fileira mostra um compromisso total com a descarbonização com os vários subsetores empenhados na abordagem da transição energética e industrial em que fontes renováveis substituam os combustíveis que até aqui acompanhavam os processos produtivos.

Ainda assim, os diversos atores do setor não deixam de alertar para a necessidade de ganhos de tempo e eficiência no processo de descarbonização, intensificando a procura por fontes alternativas a preços mais competitivos. As energias renováveis continuam a ser caras e não há investimento suficiente em renováveis.

Uma das dessas alternativas pode ser o hidrogénio verde, mas só se o preço final permitir dar lugar a cadeias de valor inovadoras e aplicar com sucesso o ‘vetor energético hidrogénio’ em várias operações, por exemplo, substituindo o gás, incluindo em subsetores difíceis de eletrificar como a siderurgia.

Rafael Campos Pereira, líder executivo da Associação dos Industriais Metalúrgicos, Metalomecânicos e Afins de Portugal e membro da Comissão Executiva da CIP, discute os desafios de um setor que não tem o reconhecimento social largamente justificado, entre outros fatores, pela excelência tecnológica e a contribuição para o PIB.

Este conteúdo é feito no âmbito da parceria Renascença/Euranet Plus – Rede Europeia de Rádios. Veja todos os conteúdos Renascença/Euranet Plus

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.