Tempo
|
Euranet
Decidir Europa
Todas as semanas, um convidado especial fala sobre os grandes temas da Europa e do mundo no programa "Decidir Europa", com edição do jornalista José Bastos.
A+ / A-
Arquivo
Reis Campos e o setor que resiste - Decidir Europa
Reis Campos e o setor que resiste - Decidir Europa

DECIDIR EUROPA

Reis Campos e o setor que resiste

16 out, 2020 • José Bastos


O líder da construção e obras públicas explica crescimento de 0,3% a levar PB a prever queda do PIB de 8,1% contra os 9,5% estimados em Junho.

A construção resistiu à pandemia e poupou o país a uma recessão ainda mais grave – o sector não parou de trabalhar desde o início da crise epidemiológica e o investimento cresceu 0,3%.

Foi um dos desempenhos chave na economia a levar o Banco de Portugal a prever, há dias, uma queda de 8,1% do PIB nacional, na revisão em alta da estimativa de crescimento de 9,5%, estimativa de junho.

A forma como o investimento resistiu á crise, em particular o relacionado com a construção, terá surpreendido o Banco de Portugal. O governador Mário Centeno, na conferência de imprensa de apresentação do boletim económico de Outubro, reconheceu que a revisão em alta da projeção para a economia se deve “a um segundo trimestre substancialmente melhor do que estava previsto”.

Este quadro mais suave registou-se porque na construção o investimento parece não ter sido afetado pela pandemia e continuou a crescer, registando uma variação positiva de 0,3% no primeiro semestre e mesmo uma aceleração no segundo semestre, no zénite do confinamento.

Como é que um setor em plena readaptação reage tão positivamente à crise? Que desafios a pandemia coloca? Como reage aos apoios e determinações da União Europeia das metas para a descarbonização da economia até 2050?

A estas e outras questões responde Manuel Reis Campos, o presidente da Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas (AICCOPN) e da Confederação Portuguesa da Construção e do Imobiliário (CPCI).

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.