Covid-19

Viver depois da infeção. "Estou em crer que há sequelas que não vão ser reversíveis"

26 abr, 2021 - 07:00 • Joana Gonçalves

A memória apagou os momentos mais difícieis da infeção, os dias de internamento nos cuidados intensivos. A nuvem de confusão só desapareceu dias após despertarem do coma, a que a Covid-19 obrigou. Agora enfrentam as sequelas motoras e respiratórias de uma doença que permanece, em parte, uma incógnita. No Hospital da Figueira da Foz, todos os doentes que passaram por internamento devido à infeção por SARS-CoV-2 são seguidos pelas equipas de reabilitação e pneumologia. Aos 45 anos, Ana Paula Cardoso iniciou um caminho para recuperar a autonomia que a Covid-19 lhe roubou.

RSS iTunes URL Embed E-mail Facebook Twitter Whatsup Comentários
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.