Tempo
|
A+ / A-

Abel responde a contestação dos adeptos do Palmeiras: "Quando eu for problema, deixo de ser o problema"

19 abr, 2021 - 12:49 • Redação

Depois de perder as Supertaças brasileira e sul-americana, o Palmeiras está a ter resultado abaixo das expetativas no campeonato estadual.

A+ / A-

Depois da aclamação pelos títulos conquistados - Taça Libertadores e Taça do Brasil -, o regresso de Abel Ferreira ao Palmeiras, após um périodo de férias em Portugal, não está a correr como o previsto. O clube perdeu a Supertaça brasileira, para o Flamengo, e a Supertaça Sul-americana, para o Defensa y Justicia, em duas decisões nos penáltis.

A prestação recente no campeonato estadual também não tem sido positiva e já há contestação. Alguns adeptos pintaram os muros do estádio, reclamando a saída de alguns jogadores, pedindo a contratação de outros e exigindo mais a Abel Ferreira.

O treinador reagiu após o empate com o Botafogo, em mais um deslize no estadual, e afirmou que "quando for o problema", deixará de o ser.

"Da mesma maneira que decidi em um dia vir para cá, quando o treinador for o problema do clube, nós resolvemos", reforçou. "Podem pintar o que quiserem, 'xingar' o que quiserem, a gente vai lá no outro dia e pinta, lava, coloca verde outra vez".

Abel pediu aos adeptos que façam um exercício de memória e e que "lembre um pouco do trajetos que estes jogadores e este técnico fizeram". "Ou somos todos um ou então não estou aqui a fazer nada", afirma.

O treinador, que quando esteve em Portugal disse não ponderar a saída do Palmeiras, porque se sentia querido no clube, deixou ainda o apelo aos dirigentes do clube para darem a cara para falar sobre "questões políticas", nomeadamete o calendárização que tem penalizado os paulistas.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+