Tempo
|
A+ / A-

Turquia

"Sofagate". Erdogan deixa Von der Leyen apeada e abre nova crise com a UE

07 abr, 2021 - 18:17 • Filipe d'Avillez

Erro de protocolo ou afronta intencional, o ato dos turcos foi entendido como uma provocação por parte das instituições europeias. Fontes do gabinete de Von der Leyen confirmam o seu desconforto. Líder do executivo comunitário terá dado ordens para um incidente do género não volte a acontecer.

A+ / A-

O incidente já é conhecido como “Sofagate”. Na passada terça-feira, durante uma visita a Ancara, a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, foi relegada para um lugar de segundo plano no encontro com o Presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan.

O encontro fazia parte de uma visita oficial dos presidentes da Comissão Europeia e do Conselho Europeu à Turquia, mas quando estes foram apresentados a Erdogan havia apenas duas cadeiras, debaixo das bandeiras da Turquia e da União Europeia, que foram imediatamente ocupadas por Erdogan e por Charles Michel, líder do Conselho.

As imagens do encontro mostram Von der Leyen um pouco atrapalhada, sem saber para onde se deve dirigir, até que é conduzida a um sofá, ocupando um lugar de segundo plano em relação aos dois homens.

Erro de protocolo, ou gesto intencional, a verdade é que o incidente está a ser entendido como uma provocação por parte do Governo turco, de inspiração islamita, às instituições europeias e já mereceu a condenação oficial da Áustria e comentários de desgosto por parte de várias figuras das instituições.

O facto de o gesto ter ocorrido pouco tempo depois de a Turquia ter abandonado a convenção global de prevenção da violência contra mulheres e crianças, chamada precisamente a Convenção de Istambul, só piorou o cenário. Von der Leyen criticou o executivo Turco por ter abandonado a convenção durante a semana passada, pouco antes de começar a visita.

Fontes do gabinete de Von der Leyen confirmam o seu desconforto - aparente nas imagens - mas dizem que a Presidente da Comissão preferiu focar-se na substância da reunião e não nos detalhes protocolares. Contudo, terá dado ordens para que um incidente igual não volte a suceder.

"Este tratamento desrespeitoso transmite uma imagem profundamente alienante que, tendo ocorrido alguns dias após a saída da Convenção de Istambul, só pode ser visto como uma provocação", afirmou Karoline Edstatdler, ministra austríaca para os Assuntos Europeus.

Apesar de a polémica abrir uma nova brecha nas relações entre as instituições europeias e a Turquia, o papel de Charles Michel também está a ser questionado, uma vez que o Presidente do Conselho Europeu, depois de ter visto o que aconteceu a Von der Leyen, limitou-se a manter-se no seu lugar.

O porta-voz de Charles Michel recusou-se a comentar o episódio, esta quarta-feira, apesar de ter sido questionado diversas vezes sobre o assunto.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+