Tempo
|
A+ / A-

Marcelo lamenta morte do "amigo" Jorge Coelho

07 abr, 2021 - 19:42 • Redação

"Com o dramático falecimento de Jorge Coelho desaparece uma das mais destacadas personalidades da vida pública portuguesa", lamenta o Presidente da República.

A+ / A-

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, lamenta a morte do "amigo" e antigo ministro Jorge Coelho, que faleceu esta quarta-feira aos 66 anos.

"Com o dramático falecimento de Jorge Coelho desaparece uma das mais destacadas personalidades da vida pública portuguesa nas décadas de 70, 80 e 90, em que foi governante, parlamentar, Conselheiro de Estado, dirigente partidário, analista político e gestor empresarial", refere a Presidência da República, em comunicado.

"Reunindo grande intuição, espírito combativo, perspicácia política, afabilidade pessoal e sentido de humor, por entre os escolhos inevitáveis dos apoios e das contraditas, deixou na memória dos Portugueses o gesto singular de assumir, em plenitude, a responsabilidade pela Tragédia de Entre-os-Rios e a capacidade rara de antecipar o sentir do cidadão comum", sublinha a nota de Belém.

O Presidente da República recorda, "com saudade, o amigo e apresenta à sua Família as mais sinceras condolências".

O antigo ministro Jorge Coelho morreu esta quarta-feira, confirmou à Renascença fonte do Partido Socialista. O histórico socialista tinha 66 anos.

Jorge Coelho terá falecido na sequência de um acidente de viação após ter sofrido um problema cardíaco, avançam vários órgãos de informação.

Fez parte de dois governos socialistas liderados por António Guterres e demitiu-se na sequência da queda da ponte de Entre-os-Rios. "A culpa não pode morrer solteira", disse na sequência do trágico acontecimento.

Tornou-se empresário e entrava todas as semanas em casa dos portugueses através da televisão, em programas de comentário político.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+