Tempo
|
A+ / A-

Mundo tem mais 660 multimilionários. Amorim é o único representante de Portugal na lista da Forbes

06 abr, 2021 - 18:17 • Hélio Carvalho

Num ano de crise profunda, em que a pandemia atirou muitas famílias para o desemprego, o mundo viu nascer mais 660 bilionários. Os europeus muito ricos viram as suas fortunas crescer um bilião de dólares e há uma família portuguesa na lista.

A+ / A-

A Forbes revelou a lista anual dos multimilionários do mundo e a compilação cresceu consideravelmente no espaço de um ano. O ranking conta agora com 2.775 multimilionários (pessoas com uma fortuna superior a mil milhões de dólares), mais 660 multimilionários que no ano anterior. No total, as pessoas mais ricas do mundo valem agora mais oito biliões de dólares em relação ao ano anterior.

Antes de falarmos das fortunas gigantescas, convém recordar a diferença entre o conceito de bilião em português (que significa um milhão de milhões e tem 12 zeros) e o conceito de billion em inglês (que significa um milhar de milhões, com nove zeros).

No último ano, enquanto milhões de famílias por todo o mundo perderam rendimentos ou caíram no desemprego, e o número de pessoas a necessitar de apoio alimentar aumentou, houve 493 novos multimilionários - desses, 210 são provenientes da China e de Hong Kong. E outros 250 são multimilionários que tinham caído da lista, mas regressaram ao grupo de elite durante este último ano.

Isto quer dizer que, segundo a estimativa da Forbes, o mundo viu nascer um novo multimilionário a cada 17 horas. Quanto ao crescimento de fortunas pessoais, 86% das pessoas mais ricas do planeta viram as suas fortunas crescer no espaço do ano, o que corresponde a um crescimento de cinco biliões de dólares

No fim de contas, a lista das 2.775 pessoas mais ricas do mundo vale uns impressionantes 13 biliões (13.100.000.000.000) de dólares, mais oito biliões de dólares - por comparação, o PIB de Portugal em 2019 era de quase 240 mil milhões de euros.

O crescimento de fortunas num annus horribilis para a maioria do resto do mundo deve-se, explica a Forbes, a colocações em bolsa de empresas, recordes nas cotações das ações e ao crescimento estratosférico do investimento em criptomoedas.

A liderar a lista está Jeff Bezos, que vai deixar o cargo de CEO da Amazon este ano mas vai permanecer na empresa como presidente executivo. A fortuna pessoal de Bezos vale 177 mil milhões de dólares, mais 64 mil milhões em relação ao ano anterior.

Logo a seguir está Elon Musk, dono dos carros elétricos da Tesla e das aventuras espaciais da SpaceX, cuja fortuna aumentou de 24,6 para 151 mil milhões de dólares - um crescimento impressionante de mais de 83%.

Os dois cidadãos norte-americanos são o rosto do domínio dos Estados Unidos na lista de multimilionários (que também incluiu no top 10 os americanos Bill Gates, Mark Zuckerberg, Warren Buffett, Larry Ellison, Larry Page e Sergey Brin).

Os Estados Unidos "ofereceram" 724 multimilionários e são o país mais representado, seguidos da China (incluindo Macau e Hong Kong) que é representada por 698 multimilionários.

Elite europeia mais rica e com uma palavra em português

Isolando a Europa do resto do mundo, não se pára de falar em crescimento. Segundo a Forbes, as maiores fortunas europeias aumentaram um bilião de euros no último ano e valem agora três biliões de euros. Há 72 novos multimilionários europeus.

A Alemanha lidera no número de multimilionários, com 136 pessoas na lista, mas é um nome francês que surge bem isolado. Bernard Arnault, CEO do grupo LVMH que detém mais de 170 marcas (que incluem a Louis Vitton, a Sephora, a Dior, a Bulgari e a TAG Heuer) é o terceiro homem mais rico do mundo e, com os seus quatro filhos que trabalham no grupo, tem uma fortuna conjunta de 150 mil milhões de euros.

A seguir a Arnault, está o espanhol Amancio Ortega, dono do grupo Inditex (que inclui marcas como a Zara, Massimo Dutti, Bershka, Oysho, Pull&Bear, Stradivarius, Uterqüe and Lefties.

Mas enquanto que uma grande parte das fortunas mais ricas da Europa vem da indústria da moda, como nos dois casos anteriores, as fortunas alemãs são fruto do investimento em pequeno retalho. Os donos dos supermercados Aldi e dos supermercados Lidl são os homens mais ricos da Alemanha, com fortunas entre os 36 e os 39 mil milhões de euros.

Isolada na lista, no lugar número 608, a família Amorim é o único nome português na lista de multimilionários. Maria Fernanda Amorim e as três filhas do empresário têm uma fortuna de 4,7 mil milhões de euros, um crescimento de quase mil milhões de euros em relação a 2020.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+