Mais procura, menos sobras e mais solidariedade. Como a Refood se adaptou à pandemia

27 jan, 2021 - 06:33 • Inês Rocha

A missão original da Refood - reduzir o desperdício alimentar e, ao mesmo tempo, alimentar quem mais precisa - é sustentável, mas difícil de cumprir em plena pandemia. Com os restaurantes fechados ou com baixa procura, as sobras para dar a quem precisa deixaram de existir, em muitos casos. Por outro lado, a procura aumentou drasticamente - no núcleo da Foz do Douro, o número de pessoas a pedir ajuda quase duplicou no último ano. Por isso, o movimento teve de se reinventar. A solução? Ainda mais solidariedade.

RSS iTunes URL Embed E-mail Facebook Twitter Whatsup Comentários
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.