Tempo
|
A+ / A-

Fugiram a operação Stop, despistaram-se e foram detidos no Porto

23 jan, 2021 - 16:49 • Lusa, com redação

Condutor não tinha carta de condução e a viatura circulava sem seguro. Fuga colou "em causa não só a integridade física, como a vida" dos agentes, diz a PSP. A operação estava a ser acompanhada pelo presidente da Câmara do Porto.

A+ / A-

Dois homens foram detidos este sábado após terem fugido de uma operação Stop que decorre no Porto e junta a PSP e a Polícia Municipal e do carro onde seguiam se ter despistado na ponte do Freixo. Vão ser presentes a tribunal na segunda-feira.

Cerca das 15h20, um carro de marca Fiat foi mandado parar pelas autoridades, mas os ocupantes decidiram furar a operação Stop vindo a despistar-se.

A fuga colocou em perigo vários agentes que se encontravam no local. A operação estava a ser acompanhada pelo presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, adiantou uma porta-voz da PSP.

“Um condutor e um passageiro, para se furtarem à fiscalização, quebraram o nosso perímetro de segurança, investiram contra o grupo de polícias que estava na operação, colocando em causa não só a integridade física, como a vida. Nesse momento, estava também presente o senhor presidente da Câmara Municipal do Porto”, disse aos jornalistas a subcomissária Cátia Moura, da PSP do Porto.

Os ocupantes do veículo tentaram fugir a pé, mas foram detidos pela PSP do Porto.

Em declarações aos jornalistas, a comandante do Comando Metropolitano do Porto da PSP, Paula Peneda, disse que o condutor não tinha habilitação legal.

A mesma fonte apontou que a detenção também se deve a falta de seguro do veículo válido.

A operação de fiscalização prossegue esta tarde na rotunda de Bonjoia, no sentido Arrábida/Freixo, por baixo da Via de Cintura Interna.

A circulação entre concelhos está proibida até às 5h00 da manhã de segunda-feira, no âmbito das medidas de confinamento em vigor por causa da pandemia de Covid-19.

A cobrança das coimas por violação do confinamento devem ser pagas na hora às forças de segurança, sob pena de agravarem, enquanto os passeios higiénicos ou com animais de companhia passam a ser permitidos apenas com comprovativo. As novas orientações constam de um despacho ministro da Administração Interna para as forças de segurança.

Portugal ultrapassou este sábado a barreira dos 10 mil óbitos desde o início da pandemia. Segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS), em 24 horas foram registadas mais 274 mortes relacionadas com a Covid-19 e 15.333 casos de infeção com o novo coronavírus, um novo máximo diário.

O boletim epidemiológico revela que estão internadas 5.922 pessoas (mais 143), das quais 720 em unidades de cuidados intensivos (mais cinco).

[notícia atualizada]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+