Tempo
|
A+ / A-

UE vai reunir-se de emergência para debater nova estirpe de Covid-19 no Reino Unido

20 dez, 2020 - 17:53 • Redação com lusa

Este domingo à tarde, o Presidente francês, a chanceler alemã e a presidente da Comissão Europeia tiveram uma primeira reunião sobre a variante do coronavírus, que é 70% mais transmissível e que foi inicialmente detetada no sudeste de Inglaterra.

A+ / A-

Veja também:


O Conselho Europeu vai reunir de emergência para tomar decisões face ao surgimento de uma nova estirpe do coronavírus no sul de Inglaterra.

A reunião foi convocada este domingo pelo gabinete de Charles Michel, presidente do Conselho Europeu, depois de pelo menos oito países terem anunciado o corte de ligações com o território britânico, entre eles Alemanha, Itália e Holanda, alguns por apenas 48 horas até uma posição comunitária ser alcançada, como é o caso de França.

A videoconferência, que terá lugar ainda este domingo, servirá para partilhar informações entre os 27 Estados-membros da UE sobre a nova estirpe de Covid-19 detetada no sul do Reino Unido e "partilhar as medidas" já tomadas por cada país no combate à propagação do coronavírus.

Fontes em Bruxelas adiantam que na reunião vão participar representantes nacionais, mas que "não será [uma conferência] ao nível dos dirigentes", ou seja, não envolve os chefes de Governo.

Esta manhã, Espanha tinha pedido à União Europeia uma posição conjunta quanto ao encerramento temporário de fronteiras com o Reino Unido face à nova estirpe, para não haver decisões unilaterais como as que tiveram lugar ao longo do dia.

Em cima da mesa poderá estar a suspensão não apenas de voos mas também de ligações ferroviárias e marítimas com o Reino Unido. O Governo português adiantou hoje que, para já, não pretende fazê-lo.

Esta tarde, este tema também dominou uma primeira reunião "online" entre o Presidente francês, Emmanuel Macron, a chanceler alemã, Angela Merkel, a presidente da Comissão Europeia, Ursula Von Der Leyen, e Charles Michel.

Nova reunião na segunda-feira

No Twitter, e à mesma hora em que era noticiada a vídeoconferência a acontecer este domingo, o porta-voz da presidência alemã da UE, Sebastian Fischer, anunciou que a Alemanha “convidou os Estados-membros para uma reunião urgente do Mecanismo Integrado da UE de Resposta Política a Situações de Crise para amanhã [segunda-feira]” de manhã.

O Mecanismo Integrado da UE de Resposta Política a Situações de Crise (IPCR) foi ativado pela primeira vez no âmbito da pandemia de Covid-19 em janeiro deste ano, ainda na então presidência croata da União, para os países partilharem informações entre si.

O IPCR é o quadro da UE para a coordenação de crises transfronteiriças ao mais alto nível político.

Segundo Sebastian Fischer, na ordem do dia da reunião de segunda-feira está a “coordenação das respostas da UE à recém identificada variante da Covid-19 no Reino Unido”.

As autoridades britânicas alertaram a Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre a descoberta da nova variante do SARS-CoV-2, que acelera a sua transmissão até 70%, tendo a entidade apelado aos seus membros na Europa para “reforçarem os controlos”.

Embora não haja provas de que a nova estirpe seja mais letal ou que possa ter impacto na eficácia das vacinas já desenvolvidas, o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, foi forçado a modificar os planos para os movimentos da população britânica no Natal.

Segundo os cientistas britânicos, a nova estirpe parece ser responsável pelo aumento preocupante das infeções em Londres e em vários condados do sudeste e leste da Inglaterra, tendo obrigado a confinar mais de 20 milhões de pessoas.

O Reino Unido está na lista dos 10 países mais afetados pela pandemia, ao somar mais de dois milhões de casos de infeção e 67.401 mortes.

A pandemia de Covid-19 provocou até agora pelo menos 1.685.785 mortos e mais de 76,2 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

[atualizado às 19h30]

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+