|

 Casos Ativos

 Internados

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Saúde

ARS do Centro corrige: chamadas sobre rastreio de cancro da mama "não são falsas"

31 jul, 2020 - 16:02 • Lusa

Convocatórias para rastreio do cancro da mama estão a ser feitas por telefone, em vez da habitual carta, no contexto da pandemia de Covid-19.

A+ / A-

A Administração Regional de Saúde do Centro esclareceu esta sexta-feira que as convocatórias para rastreio do cancro da mama estão a ser feitas por telefone, não sendo, como a entidade tinha alertado na quinta-feira, "telefonemas falsos".

A Administração Regional de Saúde do Centro (ARSC) alertou na quinta-feira para "falsos telefonemas que estão a ser realizados em nome deste instituto público", evocando "o rastreio do cancro da mama".

Hoje, numa nota enviada à agência Lusa, a ARSC vem esclarecer que, afinal, esses telefonemas não são falsos, estando associados às convocatórias por telefone, em vez da habitual carta, para o rastreio do cancro da mama, que foram retomadas em junho.

No alerta de quinta-feira, a ARSC "referia que a convocatória para o rastreio não se processava telefonicamente, o que, efetivamente, não corresponde à realidade".

"Devido à pandemia, o processo de convocatória para o rastreio do cancro da mama, da responsabilidade da ARSC e do Núcleo Regional do Centro da Liga Portuguesa Contra o Cancro (NRC-LPCC), é agora realizado provisoriamente e em articulação entre as duas entidades, via telefone e enquanto as circunstâncias da pandemia o aconselharem", esclareceu hoje a ARSC.

Na mesma nota, a ARSC refere que, por forma a distinguir o telefonema da NRC-LPCC, "informa-se que o teor do telefonema apenas dá indicações sobre procedimentos ligados ao protocolo de segurança da covid-19 e transmite à utente a data, hora e local da realização da mamografia".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • André
    02 ago, 2020 Lisboa 16:47
    O problema é que foram misturadas 2 informações: de 3 jovens, da região de Braga, que receberam um telefonema a dizer que tinham de realizar o rasteio do cancro da mama, enviando fotos das mamas para um endereço de email; outra que era uma notícia das redes sociais que seria sobre a marcação de rastreio feitos nos centros de saúde. A primeira é FALSA. A segunda é verdadeira. Uma mistura feita pela comunicação social dos pedidos de informação feitos à ARS.
  • camponio da beira
    31 jul, 2020 Viseu 16:16
    E demoraram 24 horas a descobrir uma coisa que demoraria 10 minutos, e com esta gravidade.....há portugueses que sempre nos conseguem surpreender...
  • Americo Anastacio
    31 jul, 2020 Leiria 16:14
    "Gozam" com o povo a torto e direito. Desde que esta "gente" está no governo, tem crescido a falta de respeito para com os utentes dos serviços públicos. Porque será ?