Tempo
|
A+ / A-

Covid-19: Vacina experimental da Universidade de Oxford produz resposta imunitária

20 jul, 2020 - 15:35 • Redação com Reuters

Ensaios clínicos realizados em voluntários saudáveis não detetaram quaisquer efeitos secundários graves

A+ / A-

Veja também:


A vacina experimental para a Covid-19, desenvolvida pela Universidade de Oxford, revelou-se segura e produziu resposta imunitária na primeira fase dos ensaios clínicos, segundo dados divulgados esta segunda-feira.

A informação agora tornada pública é referente a testes que foram realizados num grupo de voluntários saudáveis.

O fármaco passou à segunda fase de testes. A vacina, com nome de código AZD1222, está a ser desenvolvida pela framaceutica AstraZeneca e por cientistas da Universidade de Oxford, no Reino Unido.

Os ensaios clínicos realizados não detetaram quaisquer efeitos secundários graves e comprovaram que a vacina obteve respostas imunitárias a anticorpos e células T, indicam os resultados publicados no jornal "The Lancet".

“Ainda há muito trabalho para ser feito antes de podermos confirmar que a nossa vacina ajudará a gerir a pandemia de Covid-19, mas os primeiros resultados são promissores”, afirma Sarah Gilbert, da equipa de desenvolvimento da vacina.

“Ainda não sabemos qual a resposta imunitária necessária para provocar um efeito de proteção eficaz contra uma infeção de SARS-CoV-2”, sublinha Sarah Gilbert.

A Rússia anunciou esta segunda-feira ter concluído com "êxito" a fase de provas clínicas de uma vacina contra o covid-19 que foram realizadas em conjunto com o Centro Nacional de Epidemiologia e Microbiologia Gamaleya.

"Na manhã do dia 20 de julho [hoje], o segundo grupo de voluntários recebeu alta", afirmou o Ministério da Defesa através de um comunicado referindo que as provas clínicas foram executadas no Hospital Militar Central Burdenko, Moscovo.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+