INSA

Como a genética do coronavírus pode ajudar a montar o "puzzle" das cadeias de transmissão

18 jun, 2020 - 09:00 • Sofia Freitas Moreira

O Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA) está a monitorizar a disseminação do novo coronavirus, em Portugal. O estudo é feito através da análise do genoma deste vírus pandémico e, até à data, foram analisados mais de 700, obtidos de amostras positivas colhidas ou recebidas pela equipa, que conta com cinco elementos. “Sentimos o peso da responsabilidade, mas fazemos este trabalho com gosto”, conta à Renascença João Paulo Gomes, coordenador da equipa. O grupo, que já recebeu reconhecimento internacional pelo trabalho desenvolvido, incluindo da Organização Mundial da Saúde (OMS), estuda as cadeias de transmissão nos concelhos portugueses afetados pela pandemia e a forma como o vírus entrou no país. Entre outras aplicações, os resultados destas análises podem ser úteis no desenvolvimento de futuras vacinas para a Covid-19.

RSS iTunes URL Embed E-mail Facebook Twitter Whatsup Comentários
As Três da Manhã
bastonário da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães, visita ao Hospital de S. João, Porto 18JUN2020 Foto: José Coelho/Lusa

Médicos apelam a ação judicial para defesa de doentes em lar de Reguengos de Monsaraz

Segundo a Ordem dos Médicos, "o caso merece uma participação ao Ministério Público", e dada a sua "gravidade excecional", decidiu designar uma comissão de inquérito para "avaliar todas as circunstâncias clínicas".

Reportagem
Eu Eleitor hyper

Eu, eleitor

Retratos do país que vota

Que país é este que vai às urnas? Até às eleições legislativas, a Renascença apresenta retratos de 18 eleitores dos círculos eleitorais de Portugal continental, olhando as características e dificuldades de cada distrito.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.