|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Évora

Alentejo de fora dos descontos nas portagens só pode ter sido “lapso” do Governo

27 fev, 2020 - 14:48 • Rosário Silva

Presidente da Câmara de Évora considera que a A6 “é uma via estruturante e fundamental, que tem de ser considerada nos apoios para o interior”.

A+ / A-

O presidente da Câmara de Évora, Carlos Pinto de Sá, considera “incompreensível” que a A6 (Autoestrada Marateca-Caia), que atravessa o Alentejo, não esteja incluída na lista das autoestradas que vão beneficiar de uma redução do preço das portagens.

“É incompreensível que a A6 não tenha sido contemplada nos apoios ao chamado interior”, anunciados pelo Governo, “quando vemos outras estradas, também de grande importância, como a Via do Infante, contempladas a esse nível”, afirma, Carlos Pinto de Sá, sublinhando a relevância da via no desenvolvimento da região.

O Governo anunciou, na quarta-feira, asautoestradas que vão beneficiar de uma redução do preço das portagens, de forma a “melhorar a mobilidade dentro dos territórios do Interior”, deixando de fora, o Alentejo.

“Eu espero que tenha sido um lapso e que rapidamente seja corrigido esse lapso porque não é aceitável que a A6 não seja contemplada”, sublinha o autarca que vai levar o assunto à reunião de câmara e assembleia municipal. Posteriormente, pretende fazer chegar “ao Governo essa preocupação e a exigência de que a A6 seja incluída nos apoios” que vão favorecer as outras vias e, em consequência, as regiões que servem.

“Já vamos estando habituados a que Alentejo não seja contemplado nestas coisas, recordo os apoios à cultura aumentados para todas regiões e que no Alentejo diminuíram 8%”, exemplifica o presidente do município alentejano.

“Há sempre estes pormenores que nos deixam chateados, preocupados, pois parece que não há um olhar para o Alentejo”, lamenta o autarca comunista, argumentando que este tipo de medidas “por pouco que possam contribuir, contribuem sempre alguma coisa, e são sinal da diferença entre quem está preocupado com o Alentejo e quem não está.”

Pinto Sá lembra, ainda, que a A6 é “um corredor que junta um conjunto de municípios do Alentejo e da extremadura espanhola”, com destaque para “a ligação a Madrid e a outras zonas do país”, o que faz desta autoestrada, “uma via estruturante e fundamental, que tem de ser considerada nos apoios para o interior.”

Com inicio na Marateca, a autoestrada seis, passa pelos concelhos alentejanos de Vendas Novas, Montemor-o-Novo, Évora, Estremoz, Borba e Elvas, terminando junto ao Caia, onde se liga à autovia espanhola, que termina em Madrid, passando por Badajoz e Mérida.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.