|

 Casos Ativos

 Internados

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Portagens mais baratas no Interior, A28 e Via do Infante

26 fev, 2020 - 06:05 • Olímpia Mairos

Medida entra em vigor no terceiro trimestre.

A+ / A-

As portagens no interior, na A28 e na Via do Infante vão ser reduzidas. A medida foi avançada à Renascença pela ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa.

“Vamos conseguir implementar no terceiro trimestre deste ano um sistema de redução de portagens, privilegiando as portagens do interior. É um desconto de quantidades, que privilegia os utilizadores frequentes, quer sejam residentes quer trabalhem nestes territórios ou que os visitem regularmente”, avança a ministra.

“Nos primeiros sete dias as portagens são pagas, para, depois, entre o oitavo e o décimo quinto dia, todas as passagens beneficiarem de 20% de desconto. A partir do décimo sexto dia até ao final do mês de calendário, todas as passagens beneficiam de 40% de desconto”, explica Ana Abrunhosa.

“Se for um utilizador frequente, que use diariamente estas autoestradas, vai ter um desconto médio de 25%”, sublinha.

De acordo com a responsável pela pasta da Coesão Territorial, um veículo de Classe 1, que faz todos os dias a A23 para trabalhar, pode poupar mais de 1.200 euros por ano.

A ministra dá o exemplo da viagem entre a Covilhã e Castelo Branco: “Hoje, de Castelo Branco à Covilhã, usando a A23, pagaria por viagem €6,71. No final do mês, pagaria €422,00. Com este desconto, que seria de 25%, pagaria menos €102,00 ao final do mês, o que significaria que pagaria menos €1.224,00 ao final do ano."

“Até num troço que não é muito grande, porque a A23 é muito mais extensa, mas usando o exemplo da vida real, estamos a falar de desconto com um impacto no rendimento disponível das famílias”, sustenta.

O desconto de quantidade é apenas para os veículos de Classe 1 e Classe 2, que não sejam considerados veículos de transporte, mas inclui, por exemplo, “as carrinhas de venda de pão, carrinhas que normalmente aqueles pequenos empresários, neste território, usam”.

“Vão ter o mesmo tratamento, vão ter o mesmo desconto que os veículos de Classe 1. O objetivo é que no fim do mês as famílias sintam no bolso os descontos”, avança a ministra.

O modelo de desconto das portagens contempla também os veículos de transportes de mercadorias e é alargado aos veículos de transporte de passageiros.

“Aumentamos o desconto que já tínhamos para o transporte de mercadorias, que no passado era de 30% de dia e 50% à noite. Aumentamos para 35% de dia e 55% à noite e alargamos esta medida ao transporte de passageiros. Ou seja, no passado, esta medida era para apoiar apenas o transporte de mercadorias e estamos a alargar ao transporte de passageiros, para fomentar o uso dos transportes coletivos também nestes territórios”, avança Ana Abrunhosa.

Questionada pela Renascença sobre se a medida responde às reivindicações das populações, a ministra sublinha que “privilegia o uso frequente destas vias e, portanto, esta proposta vai ao encontro das reivindicações”.

A ministra da Coesão Territorial afirma que “maioritariamente estamos a falar de vias do interior que antes da Troika não tinham portagem” e que “é legítimo que as populações que são servidas por estas vias, queiram a redução e a anulação das portagens”.

“Mas, para que esta medida seja sustentável, nós temos que ir reduzindo gradualmente. A nossa proposta é, no futuro, à medida que o nosso orçamento do Estado consiga acolher, que consigamos trabalhar nesta redução para garantirmos que, de facto, as pessoas têm melhor qualidade de vida neste territórios e estamos naturalmente a privilegiar os territórios do interior, como está no programa do Governo e como ficou inscrito no Orçamento do Estado”, concluiu a governante.

A vias beneficiadas com a redução são: a A22-Algarve, A23-IP, A23-Beira Interior, A24-Interior Norte, A25-Beiras Litoral e Alta, A28-Norte Litoral, A4-Subconcessão AE transmontana, A4-Túnel do Marão, A13 e A13-1 - Subconcessão Pinhal Interior.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Fernando Silva
    26 fev, 2020 12:05
    Isto para quem trabalha sábados, domingos, feriados e férias. Contas ilusórias
  • josé fernandes
    26 fev, 2020 11:01
    O Interior vai continuar a ser esquecido. A Guarda, por exemplo, está rodeada por 2 autoestradas, quem quiser ou sair da/para a cidade tem de pagar. É uma vergonha! Tentem ir da Guarda a Aveiro por outras vias sem ser por autoestrada. 20% de desconto não é nada.
  • Fernando Silva
    26 fev, 2020 09:18
    Isto para quem trabalha sábados, domingos, feriados e férias. Contas ilusórias