|
A+ / A-

"É preciso ter a certeza de irregularidades" no EuroBic

30 jan, 2020 - 22:00 • Sandra Afonso , com redação

Presidente da Associação Portuguesa de Bancos sublinha que a legalidade de transferências de uma conta da Sonangol para o Dubai é uma matéria ainda em investigação.

A+ / A-

É preciso ter a certeza que EuroBic fez transferências irregulares, nem o supervisor ainda confirmou ilegalidades, alerta o presidente da Associação Portuguesa de Bancos.

Faria de Oliveira foi questionado, esta quinta-feira, sobre o caso Luanda Leaks e as transferências que passaram pelo banco português EuroBic.

À margem da Banking Summit, onde o governador do Banco de Portugal lembrou as responsabilidades dos bancos no combate ao financiamento do terrorismo e branqueamento de capitais, Faria de Oliveira sublinhou que esta é uma matéria ainda em investigação.

“Eu acho que é preciso dar tempo para ter a certeza que houve situações claras e evidentes de irregularidade. Até agora, aquilo que temos conhecimento em função das afirmações do Banco de Portugal é que o banco tomou as medidas que devia ter tomado. Em relação à legalidade das transferências temos que esperar que haja conclusões sobre isso”, afirma o presidente da Associação Portuguesa de Bancos.

O EuroBic, liderado pelo também antigo ministro das Finanças, tem como acionista Isabel dos Santos (com 42,5%), e já anunciou que cortou todas as relações comerciais com a empresária e que a sua participação no banco será vendida na sequência da divulgação dos Luanda Leaks.

A empresária angolana foi constituída arguida em Angola após a divulgação de alegados desvios de verbas da petrolífera estatal Sonangol.

O Banco de Portugal abriu uma investigação à transferência de 57,3 milhões de euros de uma conta do Sonangol no EuroBic para o Dubai.

A liderança de Teixeira dos Santos no EuroBic tem sido questionada por personalidades da vida política portuguesa como Ana Gomes ou Francisco Louçã.

Em entrevista à Renascença e ao jornal "Público", o conselheiro de Estado e ex-coordenador do Bloco de Esquerda considerou ser "impossível que Teixeira dos Santos continue à frente do EuroBic", depois das revelações do Luanda Leaks.

O presidente do EuroBic, Teixeira dos Santos, considera que a sua reputação não foi manchada por trabalhar num banco que tem como acionista Isabel dos Santos, na sequência dos Luanda Leaks.

"A engenheira Isabel dos Santos foi elogiada, muito venerada [no passado], e por isso eu creio que estar num banco em que ela é acionista não tem necessariamente de manchar a reputação de quem aqui tem procurado fazer um bom trabalho", defendeu esta quinta-feira o ex-ministro das Finanças Teixeira dos Santos, em entrevista à RTP.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.