RR
|
A+ / A-

Médica agredida no hospital de Águeda

24 jan, 2020 - 15:08 • Filipe d'Avillez

A médica tentou proteger a cara, acabando por fraturar um osso da mão quando a agressora, de 45 anos, lhe desferiu um murro.

A+ / A-

Uma médica de 33 anos foi agredida no hospital de Águeda por uma mulher que estava a acompanhar o filho, doente, a uma consulta.

O incidente decorreu na noite de quinta-feira, mas apenas foi divulgada pela imprensa esta sexta-feira à tarde, pelo “JN”.

Segundo o jornal, a agressora atingiu a médica a murro. A profissional defendeu a cabeça e por isso acabou por ser atingida nas mãos, partindo um osso numa mão.

A agressora foi identificada pela GNR, chamada ao local pelos responsáveis do hospital.

As agressões a médicos e outros profissionais de saúde têm estado na ordem do dia, tendo sido relatados muitos outros casos ao longo do último mês.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Cidadao
    24 jan, 2020 Lisboa 18:23
    Foi identificada e aposto que foi depois para casa sem mais nada, nem sequer uma noite na choça para pensar no que fez. Parece que a sala decorada, com revistas e alimentos leves que o Peter Lacerda Pan preconiza para evitar agressões, não funciona. Eu não digo que o melhor é tirar cursos de auto-defesa e ripostar fisicamente às agressões? É que se estiverem a contar com o governo/Justiça, estão entregues aos "ratos".