|

 Confirmados

 Suspeitos

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Ministério da Justiça "lamenta profundamente" agressão de duas magistradas

16 jan, 2020 - 17:52 • Redação

Governo afirma que "continua fortemente empenhado no reforço da segurança nos nossos tribunais", nomeadamente através da implementação de botões de pânico".

A+ / A-

O ministério da Justiça lamentou, esta quinta-feira, em comunicado, "a agressão de que foram vítimas duas magistradas do Tribunal de Família e Menores de Matosinhos", manifestando "total solidariedade".

Em nota enviada à Renascença, o ministério realça que este tribunal foi transferido para novas instalações em 2018 e que "se encontra dotado de condições de segurança melhores do que as existentes no anterior", nomeadamente "três postos de segurança e vigilância privada" e ainda vários sistemas automáticos de controlo.

O Governo conclui afirmando que "continua fortemente empenhado no reforço da segurança nos nossos tribunais", nomeadamente através da implementação de botões de pânico, sistemas de videovigilância e de deteção de metais".

Uma juíza e a uma procuradora do Ministério Público foram agredidas, na quarta-feira de manhã, no Tribunal de Família e Menores de Matosinhos, "no âmbito de uma audiência de regulação do poder parental", segundo a Associação Sindical dos Juízes Portugueses.

Na sequência do incidente, uma mulher com cerca de 30 anos foi detida e presente em tribunal esta quinta-feira, onde está a ser ouvida. De acordo com o que está a ser avançado pela TVI24, a arguida será internada compulsivamente na Prisão de Santa Cruz do Bispo.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Cidadao
    16 jan, 2020 Lisboa 18:52
    "Lamentar" e mostrar "total solidariedade" é baratucho, ou melhor, nem custa dinheiro. O que custa mesmo é resolver os problemas, ou seja, ir além do palavreado. Vai finalmente haver efetivos policiais em serviço em Hospitais, Tribunais, Escolas e serviços públicos? Vai haver alterações legislativas que façam com que um agressor cumpra mesmo cadeia, em vez de ser solto no próprio dia? Ou vão continuar a "lamentar" a lançar mão de estatísticas marteladas a falar em "País pacífico" e "diminuição da criminalidade" e pelo meio a criarem mais umas instituições redundantes que para nada servem a não ser para dar emprego a boys e girls do partido?