Tempo
|
A+ / A-

Greve climática em Lisboa. "Respondam ao nosso apelo: vamos levar o máximo de pessoas a Madrid”

29 nov, 2019 - 14:18 • Redação

Organizadoras admitem à Renascença que o principal objetivo do protesto desta sexta-feira é convencer as pessoas a participar na contraconferência que vai decorrer à margem da COP25, entre 2 e 13 de dezembro.

A+ / A-

Não terá ultrapassado o milhar o número de participantes na manifestação desta sexta-feira em Lisboa, no âmbito da Greve Climática Global que decorre em 157 países.

A concentração começou às 10h00 no Largo do Camões, mesmo no centro da baixa da cidade, mas o protesto e o desfile até à Assembleia da República foram sendo atrasados, à espera que houvesse mais gente a aderir à manifestação – o que nunca chegou a acontecer.

Os manifestantes foram parando ao longo da Calçada do Combro, mas não terão conseguido reunir mais do que mil pessoas.

A organizadora da manifestação, Beatriz Farelo, reconhece à Renascença que não estava muita gente, mas considera difícil, no arranque destas iniciativas, conseguir uma grande adesão das pessoas.

Alice Gato, outra das organizadoras, concorda. Na véspera desta greve, já tinha admitido em entrevista à Renascença: “Não esperamos uma mobilização tão grande como foi a da última greve.”

“A maior expectativa é conseguir mobilizar muitas pessoas para a COP25, que vai acontecer em Madrid”, adianta Alice Gato, referindo-se à Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas (COP25), que vai decorrer entre 2 e 13 de dezembro na capital espanhola.

“Estamos a mobilizar gente para a COP, em Madrid, para fazer uma contraconferência nas ruas. Respondam ao nosso apelo: vamos levar o máximo de pessoas a Madrid”, vinca Beatriz Farelo, lembrando que “a luta faz-se nas ruas e se ficarmos em casa as coisas não vão mudar”.

Na capital espanhola vai estar Greta Thunberg, que antes passa por Portugal. A ativista sueca aceitou participar numa sessão na Assembleia da República, em Lisboa, promovida pela comissão parlamentar de Ambiente, Energia e Ordenamento do Território, que se realizará no início de dezembro.

Greta Thunberg é hoje a cara e voz mais conhecida dos movimentos pelo clima, mas o mundo teve outras ativistas ambientais. Recorde aqui as histórias de Severn e Brittany, as antecessoras da jovem sueca.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.