Tempo
|
Fernando Medina-João Taborda da Gama
O presidente da Câmara de Lisboa e um professor universitário (especialista em direito fiscal) a viver na capital olham para os principais temas da atualidade. Às terças e sextas, às 9h15
A+ / A-
Arquivo
Fernando Medina e João Taborda da Gama - Sem-abrigo - 19/11/2019
Fernando Medina e João Taborda da Gama - Sem-abrigo - 19/11/2019

​F. Medina

Sem-abrigo. Lisboa quer que “todos os que queiram possam ter oportunidade” de sair da rua

19 nov, 2019 • Redação


Presidente da Câmara alude a grande complexidade do problema dos sem-abrigo, garantindo que até a aproximação das equipas “é muito difícil e exigente”.

O Presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, garante que a autarquia está a trabalhar para garantir que “todos os que queiram possam ter oportunidade para sair da situação de sem-abrigo”.

A garantia foi deixada no espaço de debate do programa da Renascença “As Três da Manhã”, a propósito do objetivo lançado pelo Presidente da República. Marcelo Rebelo de Sousa quer retirar sem-abrigo das ruas até 2023.

Medina concorda que “o Presidente sinalize a prioridade”, mas garante que o problema é, atualmente, de grande complexidade

Ainda assim, garante Medina, “o lema do novo plano municipal para o próximo período é que todas as pessoas em situação de sem-abrigo têm que ter uma resposta, seja ao nível habitacional, de emprego ou saúde mental”.

Na mesma linha, o professor universitário João Taborda da Gama considera que, embora não haja “ninguém que não queira resolver a questão dos sem-abrigo”, o problema é “difícil de resolver, porque há problemas estruturais”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.